Optimismo levanta moral dos Bulls e Wall Street agradece

Ao nível dos sectores do S&P 500 os ganhos são transversais e com bastante relevância em quase todos, com excepção das retalhistas de produtos essenciais.

Depois de uma semana de incerteza, com uma tendência descendente mas sem a volatilidade extrema das cinco anteriores, os índices norte-americanos acordaram para este novo ciclo semanal com um optimismo renascido da esperança de que o pior pode já ter passado no que respeita à propagação da pandemia de Covid-19.

Pelo menos foi isso que se inferiu das palavras de Trump, quando referiu que a situação estaria a nivelar nas zonas mais afectadas. Na Europa, o panorama continua muito complicado mas, em Itália, por exemplo, e não obstante números dantescos de infectados e óbitos, o ritmo de alastramento e de consequências aparenta, para já, estar a regredir. E digo aparenta porque a situação é demasiado fluida para se ter uma ideia fidedigna sem duas semanas de dados consistentes no mesmo sentido.

Ao nível dos sectores do S&P 500 os ganhos são transversais e com bastante relevância em quase todos, com excepção das retalhistas de produtos essenciais, que funcionaram como porto seguro durante a semana passada e por isso estão hoje mais fracas em relação ao restante mercado, onde os grupos das empresas ligadas a materiais, financeiras, imobiliário e utilities amealham mais de 6%.

No caso das energéticas, estas valorizam quase 4% apesar da queda de -3,5% no preço do WTI crude para os $27,35 por barril, e depois de três dias consecutivos a ganhar valor, após ter tocado nos $19,25 por barril em baixa e nos $29,10 na sexta-feira, portanto uma oscilação brutal em apenas três sessões.

De realçar a subida de 1,4% no preço do ouro para os $1,643 por onça, o valor mais alto das últimas quatro semanas, o que é curioso dado que o dólar americano valoriza 0,1% contra um cabaz de outras moedas principais. Isto pode indicar alguma procura por segurança, mesmo com o mercado claramente em alta, embora o yen, por exemplo, não esteja a sofrer a mesma pressão compradora, visto que recua -0,5% para os 109,05, portanto um cenário misto no campo dos activos refúgio.

O gráfico de hoje é do WTI crude, o time-frame é semanal.

 

 

Depois de uma semana de recuperação, vai ser importante estar atento ao preço do crude, nomeadamente, se irá tentar fechar o gap aberto há quatro semanas, uma zona de especial fraqueza e resistência à recuperação.

Ler mais

Recomendadas

Trump corta laço com a OMS mas não sobe tarifas à China e Wall Street fecha mista

Os Estados Unidos vão aumentar o escrutínio das empresas chinesas cotadas em Nova Iorque, algo que a Tencent se prepara para fazer já na próxima semana. “As empresas de investimento não devem sujeitar os clientes aos riscos escondidos e impróprios associados ao financiamento de empresas chinesas que não seguem as mesmas regras”, disse esta sexta-feira Donald Trump.

Bolsas europeias acabam semana com perdas. Papeleiras abalam PSI-20

Já EDP Renováveis subiu 1,71%, para 11,92 euros, um dia depois de ter informado que assegurou um contrato de 20 anos num leilão de energia eólica em Itália.

Wall Street abre mista à espera da conferência de imprensa de Donald Trump

A pressão vendedora começou a sentir-se logo ontem à noite, quando o presidente norte-americano informou que iria falar aos jornalistas sobre a China. “O governo dos Estados Unidos está… Vou usar a palavra furioso com o que a China fez nos últimos dias, semanas e meses”, disse esta sexta-feira o assessor económico da Casa Branca.
Comentários