Ordem espera “mudança no caminho” de ministra que “apelidou enfermeiros de criminosos”

A bastonária Ana Rita Cavaco disse esperar uma “mudança no caminho e na relação que a ministra, Marta Temido, tem com a classe em si”, e não tanto com a Ordem, recordando que os enfermeiros são a maior classe profissional do Serviço Nacional de Saúde.

Foto: Cristina Bernardo

A bastonária dos Enfermeiros destaca que a ministra da Saúde hoje reconduzida foi a governante que “apelidou os enfermeiros de criminosos”, mas acredita que há sempre margem para corrigir trajetos e manifesta-se disponível para o diálogo.

Num comentário à continuação de Marta Temido como ministra da Saúde, a bastonária Ana Rita Cavaco disse esperar uma “mudança no caminho e na relação que a ministra, Marta Temido, tem com a classe em si”, e não tanto com a Ordem, recordando que os enfermeiros são a maior classe profissional do Serviço Nacional de Saúde.

A bastonária aludiu ainda a declarações da ministra feitas em dezembro do ano passado, quando, numa entrevista disse ter-se recusado a iniciar conversações com os enfermeiros em greve pois isso seria beneficiar “o criminoso, o infrator”.

Depois desta declaração, a ministra enviou um pedido de desculpas através da própria bastonária.

“Há sempre espaço para as pessoas poderem corrigir trajetos, caminhos e formas de estar”, afirmou à agência Lusa a representante dos enfermeiros.

Ana Rita Cavaco lamenta contudo a “falta de disponibilidade” que Marta Temido foi revelando para com os parceiros profissionais e sociais, mas mostra-se disponível para “dialogar e resolver problemas em conjunto”.

“Da nossa parte podem contar com disponibilidade para o diálogo mas também para continuar a fazer denúncias sempre que houver uma quebra na segurança da prestação de cuidados de enfermagem”, referiu.

A ministra Marta Temido tem tido, ao longo de um ano no executivo, uma relação crispada com a Ordem dos Enfermeiros, à qual determinou a realização de uma sindicância, por exemplo.

Ler mais
Recomendadas

Portugal regista 44.416 casos e 1.629 óbitos por Covid-19

Região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 207 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 29.445.

Três startups de saúde portuguesas reconhecidas em programa europeu

As empresas Bac3Gel, C-mo Medical Solutions e Criam estão entre os finalistas de dois aceleradores da EIT Health, de cuidados de saúde.

Vírus semelhante ao que causa a Covid-19 chegou a Wuhan em 2013

As amostras eram de uma mina de cobre infestada por morcego que estava a ser investigada depois de seis homens, que se encontravam a realizar a limpeza de excrementos do mamífero, contraírem uma pneumonia.
Comentários