Organização Mundial do Turismo e Sommet Education vão entregar bolsas a projetos que impulsionem setor

“O setor turístico é uma fonte de emprego para muitos milhões. Os empregos no turismo proporcionam oportunidade, empoderamento e igualdade, inclusive para as mulheres, os jovens e pessoas que vivem em comunidades rurais”, aponta Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) e o grupo Sommet Education estabeleceram uma parceria para entregar 30 bolsas de estudo para programas de formação a nível global a quem quiser ascender na carreira ou a quem pretender mudar o percurso profissional, apostando na recuperação e impulsionamento do setor do turismo.

Com o setor parado desde meados de março, mês em que a pandemia levou os países a colocarem-se em confinamento, a competição lançada por estas instituições pretende identificar novas ideias, abordagens e rostos que tenham como objetivo acelerar a recuperação do meio, promovendo a inclusão e sustentabilidade no setor, de forma a reinventar o que será a hotelaria no futuro pós-Covid.

Os critérios de seleção para a bolsa de estudo incluem o grau de disruptividade, maturidade do projeto e potencial de implementação, bem como viabilidade, escala, nível de digitalização, sustentabilidade e poder para atrair o interesse de investidores.

A competição terá foco em quatro categorias diferentes, indo das viagens de luxo, bens e serviços, hotéis e serviços relacionados com pequenos a médios empreendimentos e empresas familiares, alimentação bebidas, com foco em restaurantes, catering, serviços de entrega e retail, bem como imóveis inteligentes, com pequenas a médias propriedades e empresas familiares.

“O setor turístico é uma fonte de emprego para muitos milhões. Os empregos no turismo proporcionam oportunidade, empoderamento e igualdade, inclusive para as mulheres, os jovens e pessoas que vivem em comunidades rurais”, aponta Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT.

“Este momento de reabertura é o momento certo para repensar a hotelaria e identificar e implementar novas ideias para tornar o setor mais inclusivo e sustentável. Esta competição da OMT fará exatamente isso”, destaca.

“Esta crise dá-nos a oportunidade de conciliar visões do mundo que estavam em oposição há muito tempo e inventar a hotelaria do amanhã. Acreditamos que a formação é a base de um mundo mais hospitaleiro”, sustenta o chief executive officer da Sommet Education, Benoit-Etienne Domenget. “Oferecer bolsas de estudo é uma contribuição para a recuperação do setor, acelerando o desenvolvimento de pessoas talentosas com visões criativas, apoiando novas abordagens com o objetivo de renovar a área da hotelaria”, acrescenta.

A competição a estas bolsas inicia-se hoje e tem o fim marcado para o final do mês de agosto. Os 30 finalistas serão selecionados por uma rede internacional de investidores, empresários e especialistas da OMT, aliados estratégicos e representantes da Sommet Education.

Os finalistas são elegíveis para bolsas integrais em 15 programas diferentes em Gestão Hoteleira, Culinária e Pastelaria, incluindo Bacharelados, Mestrados e MBAs, oferecidos nas instituições académicas que integram o grupo Sommet Education.

Ler mais
Recomendadas

É oficial: Donald Trump retira Estados Unidos da OMS

“O Congresso recebeu a notificação de que o Presidente retirou oficialmente os Estados Unidos da OMS em plena pandemia”, escreveu no Twitter o senador democrata Robert Menendez. Washington e ONU já confirmaram.

“Gripezinha ou resfriadinho”. Imprensa brasileira relembra declarações de Bolsonaro sobre a Covid-19

Presidente sempre desvalorizou doença, comparando-a a uma “gripezinha” ou “resfriadinho” e promovendo o uso de hidroxicloroquina, que afirma já ter tomado. Reações das redes sociais também merecem destaque na imprensa.

Comprar uma marca de sapatos. Warren Buffett elege “erro mais terrível”

Embora Warren Buffett estivesse errado sobre as perspetivas da Dexter, reconheceu a ameaça que logo afundaria a empresa: os sapatos importados e baratos, vindos de países com baixos salários.
Comentários