Organizações cívicas em protesto contra expansão do aeroporto de Lisboa

Um grupo de organizações cívicas manifestou-se no aeroporto de Lisboa contra o seu alargamento e a construção de um novo no Montijo, alertando para o impacto na saúde e no ambiente.

Um grupo de organizações cívicas manifestou-se no aeroporto de Lisboa contra o seu alargamento e a construção de um novo no Montijo, alertando a população para o impacto na saúde e no ambiente.

José Encarnação, da Plataforma Cívica Aeroporto BA6 — Montijo Não, uma das organizações presentes, em declarações à agência Lusa disse que esta iniciativa (alargamento do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa e construção de um novo no Montijo) “são uma clara contradição do discurso que o primeiro-ministro fez na cimeira climática COP25″ não correspondendo a decisões comissão europeia”.

“Esta é a pior contribuição que Portugal dá para combater as alterações climáticas”, disse adiantando que a iniciativa visou chamar a atenção para estes dois processos em curso que “estão cheios de irregularidades porque as obras que deverão começar em janeiro para alargar os movimentos do aeroporto Humberto Delgado deviam ser sujeitas a um estudo de impacto ambiental e não foram”.

Outra vertente, adiantou, é a construção de um novo aeroporto numa zona de reserva natural do estuário do Tejo, um dos maiores santuários da Europa por onde passam mais de 2.000 aves.

Também Anne, da ATERRA, organização pela redução do tráfego aéreo e por uma mobilidade que respeite os limites do planeta, chamou a atenção que apesar de Portugal ter assinado um plano de descarbonização está agora a expandir o aeroporto. “Temos de reagir. O Governo tem de ouvir o povo e cuidar da saúde e do ambiente”, disse.

A iniciativa “Mais Aviões Não” foi promovida pela campanha ATERRA, em conjunto com a Plataforma Cívica Aeroporto BA6-Montijo Não, a ZERO, a União dos Sindicatos de Lisboa e várias outras organizações.

A deputada Inês Sousa Real, do partido PAN — Pessoas-Animais-Natureza, associou-se também ao protesto, indicando que está em causa a qualidade da população e que o aeroporto Humberto Delgado é um dos aeroportos que maior pressão causa na qualidade de vida das populações.

Relativamente ao Montijo a deputada disse que é uma opção desastrosa do ponto de vista ambiental e social estando previsto num ecossistema único, numa área protegida.

A ANA – Aeroportos de Portugal e o Estado assinaram em 08 de janeiro o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, que prevê um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028 e inclui a extensão da atual estrutura, Aeroporto Humberto Delgado (em Lisboa), e a transformação da base aérea do Montijo.

Ler mais
Recomendadas

Supremo Tribunal de Justiça da Guiné-Bissau esclarece que ordenou apuramento nacional

Na aclaração, o Supremo Tribunal de Justiça esclarece que o primeiro segmento do acórdão “não pode ser interpretado como se de convite fosse à Comissão Nacional de Eleições por este tribunal, para proceder à junção da ata em falta aos autos do recurso contencioso”, mas “sim cumprir com a disposição imperativa do artigo 95.º da lei eleitoral”.
joão_cotrim_figueiredo_iniciativa_liberal_legislativas

Iniciativa Liberal quer reduzir IVA da alimentação infantil e retirar limitação etária nas deduções do IRS

O partido liderado por João Cotrim Figueiredo, também deputado único desta força política na Assembleia da República, defende que a proposta contribui para “uma maior inclusão de todos os produtos alimentares destinados a crianças” e também elimina a “injustiça de produtos com base em fruta e sem adições terem uma taxa mais elevada do que a própria fruta”.

Presidente da República de Moçambique anuncia novo Governo com 18 ministros

Nas novas caras, Verónica Macamo, que sai da presidência da Assembleia da República, assume o cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, em substituição de José Pacheco – que não surge na lista hoje divulgada.
Comentários