PremiumPais de crianças até aos 12 anos recebem 66% do salário

Os pais com crianças até aos 12 anos que sejam obrigados a ficar em casa devido ao fecho das escolas recebem até 66% do salário, com um limite mínimo de 665 euros e um limite máximo de 1.995 euros

Os pais com crianças até aos 12 anos que sejam obrigados a ficar em casa devido ao fecho das escolas recebem até 66% do salário, com um limite mínimo de 665 euros e um limite máximo de 1.995 euros. Porém, este apoio só pode ser pedido por um dos progenitores e só se aplica nos casos em que nenhum dos pais se encontre em regime de teletrabalho.

Aquando do anúncio do encerramento das escolas, o primeiro-ministro, António Costa, explicou que os apoios neste âmbito às famílias seriam iguais aos aplicados durante o primeiro confinamento. Segundo a informação já definida pelo Governo para este período, este apoio abrange assim os trabalhadores por conta de outrem, os trabalhadores independentes e os trabalhadores do serviço doméstico.

Contudo, não são abrangidas as situações em que é possível o teletrabalho e “caso um dos progenitores se encontre em teletrabalho, o outro não poderá receber este apoio”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: PCP quer apoios a 100% para pais “imediatamante e com efeitos retroativos”

Intervindo numa sessão pública, em Lisboa, Jerónimo de Sousa lamentou que “PS, PSD e CDS-PP” tenham rejeitado na Assembleia da República a proposta do PCP que previa “o pagamento do salário a 100% a quem está em assistência a filhos até aos 16 anos, enquanto as escolas se mantiverem encerradas”, devido à pandemia de Covid-19.

PremiumEconomistas alertam para risco de crise financeira

O volume moratórias de crédito quando comparado com o resto da Europa deixa antecipar fortes impactos na banca no pós-Covid.

PremiumUnião Europeia não pode continuar “em velocidade lenta”

O painel do Observatório “A Recuperação Económica depois da Covid-19” sobre ‘O papel da Europa e os desafios para o futuro no contexto global’ foi unânime em considerar que a UE deu, no contexto de combate à pandemia, mais uma prova da sua endémica lentidão.
Comentários