Países da lusofonia e China assinam protocolo de cooperação no ensino superior

Na declaração conjunta é firmado um compromisso que visa promover a cooperação na mobilidade e no apoio às indústrias inovadoras e criativas entre o ensino superior da lusofonia e o da China.

São mais de 70 instituições do ensino superior da lusofonia e da China que assinaram este sábado uma declaração conjunta na qual firmam um compromisso que visa promover a cooperação na mobilidade e no apoio às indústrias inovadoras e criativas.

A declaração conjunta marcou o encerramento da 1.ª edição do Fórum dos Reitores das Instituições do Ensino Superior da China e dos Países da Língua Portuguesa, organizada pelo Gabinete de Apoio ao Ensino Superior de Macau, a Universidade de Macau e a Universidade de São José.

No texto disponibilizado à agência Lusa no final da cerimónia de encerramento, os responsáveis acordam em “incentivar a cooperação das indústrias inovadoras e criativas”, tanto na China continental e nas regiões administrativas especiais de Macau e de Hong Kong, como nos países lusófonos.

A intenção, pode ler-se na declaração, passa por acelerar “os processos de cooperação comercial global entre os mercados emergentes dos países/regiões envolvidos”.

Entre os países de língua portuguesa, o compromisso foi assinado por representantes de universidades e politécnicos de Portugal, Angola, Moçambique, Timor-Leste e Brasil.

A declaração tem mais três pontos nos quais se define o âmbito da cooperação: promover Macau “como centro de intercâmbio cultural”, desenvolver a mobilidade de estudantes e profissionais, bem como “reforçar o planeamento conjunto, a longo prazo (…), no âmbito da iniciativa [chinesa] “Uma Faixa, Uma Rota”, de acordo com as necessidades de desenvolvimento das diversas partes envolvidas, e promover a cooperação nas áreas da educação, da cultura e do desenvolvimento económico”.

Ler mais
Recomendadas

Ordem espera “mudança no caminho” de ministra que “apelidou enfermeiros de criminosos”

A bastonária Ana Rita Cavaco disse esperar uma “mudança no caminho e na relação que a ministra, Marta Temido, tem com a classe em si”, e não tanto com a Ordem, recordando que os enfermeiros são a maior classe profissional do Serviço Nacional de Saúde.

Fenprof diz que continuidade do ministro da Educação é “uma afronta e uma provocação”

O secretário-geral da Fenprof referiu que em vários problemas, como as greves dos professores ou problemas com os cortes ao financiamento dos colégios privados e a discussão da identidade de género, “quem deu a cara” foram os secretários de Estado.

Seu Jorge em Gala no Casino Estoril para apoiar operações da Cruz Vermelha em Moçambique

Gala no Casino Estoril para apoiar operações da Cruz Vermelha em Moçambique traz a Portugal o cantor brasileiro Seu Jorge. Após o jantar será realizado o leilão de várias peças, dentre as mais destacadas estão uma guitarra de Mick Jagger, e peças de arte, refere a organização.
Comentários