PAN evoca VOX para pedir respostas para a “exploração social e ambiental” na Costa Vicentina

André Silva classificou a Costa Vicentina como “Almeiria portuguesa” e lembrou que o descontentamento e insegurança sentido na província espanhola de Almeiria levou ao crescimento do partido de extrema-direita VOX.

O dirigente do PAN, André Silva, questionou esta quarta-feira o primeiro-ministro sobre a a promoção de residência dos trabalhadores portugueses em contentores na Costa Vicentina. André Silva classificou a Costa Vicentina como “Almeiria portuguesa” e lembrou que o descontentamento e insegurança sentido na província espanhola de Almeiria levou ao crescimento do partido de extrema-direita VOX.

“O Estado português não pode institucionalizar a contentorização de pessoas”, defendeu André Silva, no primeiro debate quinzenal, sustentando que a habitação para os trabalhadores está a ser tratada como se fosse “o armazenamento de alfaias agrícolas”.

André Silva nota que, entre 2017 e 2019, foram dadas cerca de oito mil autorizações de residência, sem que tenha havido “um reforço dos serviços públicos”. O dirigente do PAN considera que a medida, aprovada em Conselho de Ministros, tem promovido “exploração social e ambiental” e “coloca em causa as boas práticas de integração das comunidades”.

O deputado referiu-se à Costa Vicentina com a “Almeiria portuguesa” e lembra que nessa província espanhola, onde o VOX foi a segunda força política mais votada, registavam-se problemas semelhantes aos da Costa Vicentina, como a “poliferação de estufas, fluxo de emigrações em condições precárias, muitas vezes em situação ilegal, e mesmo escravidão”.

“Em nome do crescimento económico, o Governos de Espanha nada fizeram ao longo dos anos e as tensões sociais aumentaram, alimentadas pela conhecida estratégia de pôr todos contra todos e pelas narrativas que exploram sentimentos de insatisfação e insegurança”, afirmou André Silva.

Em resposta a André Silva, o primeiro-ministro, António Costa, diz que a resolução do Conselho de Ministros “reduz para metade e não aumenta as áreas disponíveis para estas ocupações” e define as condições necessárias para o funcionamento dessas habitações, saneamento, eletricidade e telecomunicações.

“O que asseguramos é que as condições dessas habitações, não são as de armazenamento das alfaias agrícolas”, indica.

Ler mais
Recomendadas

BE e PCP confrontam Governo com situação precária de trabalhadores não docentes nas escolas

O Bloco de Esquerda quer saber se o Executivo socialista está a ponderar integrar os trabalhadores contratados a termo certo em 2017 nos quadros da Administração Pública e o PCP considera “inaceitável” que esses profissionais continuem em situação precária e que esteja a ser promovido o seu despedimento.

Governo abre 435 vagas para médicos de família

“Do total de vagas a preencher, o maior número dos últimos anos, 216 situam-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, 86 no Norte, 64 no Centro, 34 no Alentejo e 35 no Algarve”, lê-se na nota enviada pelo Ministério da Saúde.

Onde está Juan Carlos? Marcelo não sabe se está em Portugal, República Dominicana garante que não está no país

Marcelo Rebelo de Sousa não sabe se o rei está no país, apontando que as autoridades portuguesas também não sabem. Já a República Dominicana garante que o antigo rei não entrou no país. Ministério dos Negócios Estrangeiros não comenta.
Comentários