PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.

No final de outubro, a NOS anunciou ter tornado Matosinhos “na primeira cidade 5G” de Portugal, “com uma rede 5G 100% operacional”, tendo o apoio da tecnológico da chinesa Huawei. Quase dois meses depois, a concelhia de Matosinhos do partido Pessoas Animais Natureza (PAN) defende “a necessidade da realização de uma campanha informativa sobre o 5G” no município.

“Decorrente de várias notícias nos últimos meses a darem conta de Matosinhos como sendo a primeira cidade 5G do país, vários foram os cidadãos e cidadãs que fizeram chegar ao PAN as suas preocupações relativamente a esta nova geração de comunicações implementada na cidade”, indica a delegação local em comunicado.

A necessidade de realização de uma campanha informativa sobre o 5G foi pedida pelo PAN na última sessão ordinária da Assembleia Municipal de Matosinhos. “Muitas destas preocupações existem pela total falta de informação junto da população, impondo-se a necessidade urgente da realização de acções várias junto dos munícipes, que incluam palestras, conferências e debates por toda a cidade, e que, de forma sucinta e compreensível, permitam o entendimento das reais diferenças entre o actual 4G e 5G, pois só desta forma a população poderá ter uma posição devidamente informada nesta matéria.”, argumentou o vogal municipal do PAN Albano Lemos Pires.

Foi em abril deste ano que foi anunciado que Matosinhos iria ser palco de testes de 5G, quando a NOS se associou à Zona Livre Tecnológica, um projeto do CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento. Ao entrar no empreendimento, a operadora liderada por Miguel Almeida anunciou tratar-se de uma oportunidade para testar 5G em ambiente real.

Volvidos seis meses, em outubro, a empresa anunciou que o 5G “está integralmente operacional e disponível à autarquia, empresas, e polos de investigação, para o desenvolvimento de use cases alavancados nesta tecnologia” em Matosinhos. Contudo, trata-se de uma cobertura em regime piloto.

A infraestrutura 5G de Matosinhos é composta por uma rede com cerca de 20 estações rádio que cobrem integralmente a cidade, bem como a totalidade da Zona Livre Tecnológica da cidade, compreendida entre o Parque da Cidade do Porto, o Porto de Leixões, a freguesia de Senhora da Hora e a zona comercial do NorteShopping.

A União Europeia (UE) espera que cada um dos Estados-Membros, em 2020, disponibilize cobertura 5G em pelo menos uma cidade, sendo que Aveiro foi escolhida para ser a primeira cidade portuguesa com cobertura 5G. Contudo, a NOS diz que a cobertura 5G em Matosinhos está pronta a ser utilizada.

Ler mais
Relacionadas

Matosinhos já é uma cidade 5G

A rede 5G da NOS em Matosinhos utiliza o espectro na banda dos 3,5GHz solicitada à ANACOM para efeitos de testes.

Jorge Graça, NOS: “O 5G é muito mais que uma antena”

A Nos junta-se ao à primeira Zona Livre Tecnológica em Portugal, em Matosinhos, numa parceria com a CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, onde será, para já, testada a adoção de opções de mobilidade sustentáveis. Para a telecom esta é uma oportunidade para testar outras funções no 5G, em ambiente real. Em entrevista ao JE, o administrador da Nos, Jorge Graça, falou sobre a iniciativa e como a ZLT contribuirá para o que se chama de Sociedade 5.0.

Matosinhos inaugura primeira Zona Livre Tecnológica em Portugal

A iniciativa que será testada pelos colaboradores da CEiiA visa a adoção de opções de mobilidade sustentáveis que reduzam as emissões de CO2.
Recomendadas

PremiumCEO da Transavia: “Portugal é o nosso primeiro mercado”

Nathalie Stubler diz que as medidas tomadas no nosso país facilitaram a reabertura das operações.

Ministro britânico afirma que Huawei deverá reunir condições para desenvolvimento do 5G

“Tenho certeza de que o Conselho de Segurança Nacional analisará essas mesmas condições e tomará a decisão certa, para garantir que temos uma infraestrutura de telecomunicações muito forte, mas também segura”, disse este domingo Matt Hancock.

Empresas portuguesas podem pagar menos impostos em Angola

O governo angolano considera que o objetivo fundamental das alterações fiscais é “tornar ou desonerar a carga fiscal nos rendimentos mais baixos, conservar ou manter a carga fiscal dos rendimentos de escalões intermédios e introduzir progressividade nos rendimentos mais altos”.
Comentários