Papeleiras e CTT impulsionam PSI 20

Em Lisboa, catorze empresas cotadas valorizam, duas desvalorizam e duas negoceiam sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) soma 0,38%, para 5.147,13 pontos, em linha com as principais praças europeias esta segunda-feira, 2 de dezembro. Em Lisboa, catorze empresas cotadas valorizam, duas desvalorizam e duas negoceiam sem variação.

A bolsa nacional é impulsionada pelos ganhos das papeleiras Altri (1,15), Semapa (0,88%) e Navigator (0,63%), dos CTT (1,24%) e do BCP (0,46%). Em contraciclo, negoceia a Sonae Capital.

Destaque para o BCP, liderado por Miguel Maya, cuja ação “atravessa uma forte correção, que em parte se prende com um recuo natural do sector e com a sua exposição à Polónia”, apontam os analistas do BPI.

Entre as principais congéneres europeias, o sentimento também é positivo. Os investidores reagem ao facto de a China ter revealado que a atividade industrial subiu em novembro, excedendo as expectativas. A China, que é uma das duas maiores economias do mundo tem dado sinais de abrandamento devido ao conflito comercial com os Estados Unidos, um conflito que se tem revelado um factor de pressão sobre as bolsas mundiais.

Recomendadas

Tribunal de Contas acusa ministério de Centeno de falta de liderança na reforma das Finanças Públicas

O Tribunal de Contas alerta que quatro projetos que deveriam ter sido concluídos no primeiro semestre de 2019 não foram ainda iniciados no âmbito da implementação da Lei de Enquadramento Orçamental. Recomenda mais meios, assim como estabelecer melhor hierarquia nas prioridades dos projetos.

Confederações patronais querem alargar a mais PME taxa reduzida de IRC

Atualmente beneficiam desta taxa reduzida de IRC as empresas com matéria coletável até 15 mil euros e as duas confederações vão propor que esse limite suba para os 50 mil euros já no Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

COP25: CEDEAO quer mobilizar 80 milhões para agricultura climaticamente sustentável

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) quer mobilizar, na COP25, em Madrid, 80 milhões de dólares em fundos para o seu mecanismo de financiamento a projetos de agricultura climaticamente sustentáveis.
Comentários