PremiumPara onde foram os nossos votos?

A maioria absoluta obtida pelo PSD e pelo CDS em 2011 é um marco importante para se compreender o que se viria a passar em termos de transferências de voto nas legislativas seguintes e, mais tarde, em 2019.

Como explicar a votação em 6 de outubro através das sondagens

1. As transferências de voto entre 2011 e 2015
O destino dos votos obtidos pelos diversos partidos em diferentes eleições da mesma ordem é, ou devia ser, uma prioridade na análise dos estrategas dos partidos e dos diferentes tipos de especialistas que estudam e analisam os resultados eleitorais. A votação no PSD a 6 de outubro, e a evolução da tendência de voto apresentada em diversas sondagens, foi motivo de controvérsia e muito comentário, desnecessário se todos os dados existentes fossem relacionados. Também a eleição de representantes de três novos partidos (Chega, Iniciativa Liberal e Livre), e o reforço eleitoral de outro (PAN), eram previsíveis tendo em atenção toda a informação disponibilizada em várias sondagens.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPSD remete alterações ao OE para depois de eleições internas

Propostas dos sociais-democratas só dão entrada no Parlamento a partir da próxima semana. Direção de Rui Rio chama a si proposta de redução do IVA da eletricidade por ter “relevo político nacional”.

PremiumCarlos Zorrinho: “OE foi muito tático na forma como foi discutido e votado”

Eurodeputado eleito pelo PS entende que as abstenções do BE, PCP, PEV e Livre mostram vontade de continuar a negociar com o Governo. E defende uma transição digital e energética “mais justa” e concorda com propostas de redução do IVA da eletricidade.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários