Paragem na refinaria de Sines faz disparar importações de combustíveis em 40% em setembro

A paragem temporária da refinaria “terá também contribuído para o decréscimo de 18,2% nas exportações de combustíveis e lubrificantes”, segundo dados divulgados pelo INE esta sexta-feira.

As importações cresceram 13,2% em setembro, em termos homólogos, enquanto as exportações aumentaram 5,8%, segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. A explicar esta evolução está essencialmente a subida de 40% nas importações de combustíveis, devido à paragem temporária da refinaria de Sines.

“Nas importações, o acréscimo de combustíveis e lubrificantes refere-se essencialmente a produtos transformados, justificado em parte com o encerramento para manutenção da refinaria de Sines na primeira quinzena de setembro”, refere o relatório do organismo de estatística.

O INE explica ainda que a paragem temporária da refinaria, que já se tinha feito sentir em agosto, “terá também contribuído para o decréscimo de 18,2% nas exportações de combustíveis e lubrificantes”, tendo sido este o único decréscimo na globalidade das grandes categorias económicas em ambos os fluxos.

A par dos combustíveis, oriundos principalmente de Espanha, também a importação de material de transporte contribuiu para o aumento das importações, ao subir 30,1% face ao mês homólogo de 2018, com França e Alemanha a representarem os principais fornecedores.

Mas também a venda de bens em setembro refletiu o aumento de 19,8% de material de transporte. “O acréscimo do material de transporte em ambos os fluxos resultou principalmente dos aumentos de outro material de transporte (maioritariamente aviões)”, identifica o INE.

[Atualizado às 11h45]

Ler mais

Relacionadas

Importações crescem 6,3% no terceiro trimestre. Exportações sobem apenas 1,2%

Compra de bens ao exterior continuou a subir mais do que a venda de bens, segundo dados do INE. Défice da balança comercial de bens aumentou 518 milhões de euros face ao período homólogo de 2018, no trimestre terminado em setembro.
Recomendadas

Oito candidatos para liderar fundo soberano da Noruega

O fundo soberano da Noruega gere ativos no valor de 1,1 triliões de dólares.

Tripulante português infetado com coronavírus já está no hospital de Okazaki

O português Adriano Maranhão infetado com o coronavírus Covid-19, já chegou ao hospital da cidade de Okazaki, Japão, depois de uma viagem de autocarro de sete horas, disse à agência Lusa a sua mulher.

Angola deverá endividar-se em 7,6 mil milhões de dólares este ano, diz Standard & Poor’s

A agência de ‘rating’ Standard & Poor’s (S&P) avisa que Angola deverá emitir em 2020 dívida comercial no valor de 7,6 mil milhões de dólares, descendo face aos 8,4 mil milhões emitidos em 2019.
Comentários