Parlamento Europeu fixa Orçamento da UE para 2022 em 171,8 mil milhões de euros

Os eurodeputados inverteram assim a maioria dos cortes feitos pelo Conselho (1,43 mil milhões de euros), restaurando o financiamento proposto pela Comissão Europeia para programas considerados chave.

Os eurodeputados querem apoiar a recuperação da pandemia e impulsionar os investimentos e combater o desemprego, fixando o nível geral de dotações de autorização do Orçamento da União Europeia para o próximo ano em 171,8 mil milhões de euros, mais 2,7 mil milhões de euros face ao projeto de orçamento proposto pela Comissão Europeia.

O Parlamento Europeu voto na quarta-feira a sua posição sobre o Orçamento da União Europeia para 2022, tendo sido conhecido hoje a aprovação da posição.

Os eurodeputados inverteram assim a maioria dos cortes feitos pelo Conselho (1,43 mil milhões de euros), restaurando o financiamento proposto pela Comissão Europeia para programas considerados chave. Regista-se assim um “aumento significativo” para o programa Horizonte Europa (com um aumento de 305 milhões de euros acima do projeto do Orçamento da Comissão), para o “Connecting Europe Facility”, com mais 207 milhões de euros, e para o programa “Life”, destinado ao clima e ao ambiente, com mais 171 milhões de euros.

Foram também reforçados os programas destinados à juventude, com as verbas do Erasmus+ a aumentar 137 milhões de euros.

“A votação dá início a três semanas de conversações de “conciliação” com o Conselho, com o objetivo de chegar a um acordo sobre o Orçamento do próximo ano, que tem de ser votado pelo Parlamento e assinado pelo presidente”, refere o Parlamento.

Karlo Ressler, relator geral para o orçamento da União Europeia 2022″, salientou que “os elementos-chave da nossa posição são, sem dúvida, a reversão dos cortes arbitrários por parte do Conselho e o reforço de linhas que têm um valor acrescentado para os europeus”. Deste modo, realçou como prioridades: apoiar o motor da recuperação e economia europeias, reforçar os programas orientados para o futuro em pesquisa, inovação e educação, fortalecer a União Europeia da Saúde e impulsionar os nossos esforços em direção a uma Europa digital, verde e segura.

Recomendadas

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.

Turquia pede ao Conselho da Europa que evite sanções contra o país

A Turquia apelou ao Conselho da Europa para evitar qualquer penalização contra o país, numa altura em que se mantém a ameaça de uma rara sanção pela detenção sem julgamento do mecenas Osman Kavala.

Alemanha em mudança com foco no novo ministro das Finanças. Ouça o podcast “A Arte da Guerra” com Francisco Seixas da Costa

Do novo Governo da Alemanha ao divórcio entre eleitores e poder político na Argélia passando pelos conflitos entre Reino Unido e França com o Brexit pelo meio. Tensão é a palavra que marca esta edição do podcast do JE, que conta com a análise do embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários