Patrão da Jerónimo Martins quer “salário mínimo muito mais alto”

O homem forte do Grupo Jerónimo Martins afirma-se a favor de um salário base mais elevado, “porque as pessoas têm de viver com dignidade” e explica por que motivo mudou a sede fiscal da empresa para a Holanda. Reconhecendo que o Governo está a fazer “um bom trabalho”, ressalva a necessidade de um plano de crescimento sustentado para o país.

1,8 mil milhões de euros

Alexandre Soares dos Santos, uma das figuras de proa do Grupo Jerónimo Martins, revela ser a favor de um salário mínimo “muito mais elevado”. Em entrevista à TVI24, o antigo presidente do Conselho de Administração do grupo português defende esta necessidade de uma maior remuneração base no facto de as pessoas terem “de viver com dignidade” e dá o exemplo do Pingo Doce, onde, afirma, um operador de caixa recebe na razão dos “800 euros” e o ordenado mínimo é “um ponto de partida. São os primeiros seis meses”.

No entanto, ressalva que este aumento de vencimento tem de ser acompanhado de um aumento da responsabilidade dos trabalhadores, mencionando que “nunca se falou da taxa de absentismo em Portugal”, que diz ser “enorme” nas empresas. E acrescenta que esta taxa só não é maior porque a política salarial em Portugal “assenta num vencimento base mais prémios.”

Garantias holandesas
Questionado sobre que motivos o levaram a mudar a sede fiscal do grupo para a Holanda, Soares dos Santos revela que não foram fiscais as razões que levaram à mudança: “Se vamos mudar uma empresa apenas por razões fiscais, não vale a pena estar no negócio.” Para o empresário, a mudança para a Holanda trouxe outras mais-valias, como por exemplo, a cobertura dos investimentos do Grupo pela Constituição local e pelos seus acordos comerciais: “Por exemplo, se eu for nacionalizado na Polónia, o Governo indemniza-me.”

Além destas garantias, mudar-se para a Holanda permitiu ao grupo o acesso a financiamento que não estava a conseguir em Portugal. Soares dos Santos ironiza, afirmando até que “estávamos a precisar de dinheiro e a banca nacional não estava a responder. Desde que estou na Holanda sou recebido no salão principal”.

Governo a trabalhar bem
Reconhecendo que “as coisas estão a correr francamente melhor” e que o Governo está a “fazer muito bom trabalho” no que respeita à descida do défice e à da taxa de desemprego, Soares dos Santos revela-se surpreendido pela positiva com Mário Centeno, acerca de quem tinha “sérias dúvidas” no início do mandato.

Mas defende que é preciso um “consenso sobre que país queremos” e que, para crescer, o país precisa de conseguir “traçar um plano de crescimento sustentado e com uma dívida controlada”, algo que até agora não tem sido conseguido: “Estamos ao sabor das eleições.”, diz, numa economia que apelida como “stop and go”. Soares dos Santos conclui afirmando que “não podemos continuar no stop and go. As empresas não aceitam mais isso”.

Ler mais
Relacionadas

Galp, Jerónimo Martins e EDP mantêm-se no índice Stoxx Global ESG Leader

A EDP, a Galp e a Jerónimo Martins permanecem no índice, que distingue as empresas de maior dimensão que cumprem os requisitos na área do ambiente, responsabilidade social e governance.

Jerónimo Martins está a recrutar através do Linkedin

Decorre até 1 de outubro uma operação de recrutamento para o programa “PGGL” da marca Recheio. A página do grupo JM no Linkedin permite a partilha de oportunidades de carreira em Portugal, Polónia e Colômbia e conta já com mais de 100 mil seguidores.

Caixa BI: Jerónimo Martins será menos afetada que hipermercados na Polónia com fecho ao domingo

O Caixa BI antecipa um impacto negativo, ainda que não material, para a Jerónimo Martins (Biedronka), com um trade-off significativo entre as vendas aos domingos e as maiores vendas no período de quinta-feira a sábado
Recomendadas

Alívio do IRS é única promessa feita por todos

Todos os partidos defendem menos IRS para rendimentos médios e baixos. Noutros impostos há reduções para todos os gostos e más notícias paraos mais ricos. Mas esquerda e direita chegam a ter propostas semelhantes.

PremiumFisco avança com execuções a 500 advogados com dívidas à Ordem

Advogados que tenham quotas em atraso e não pagarem voluntariamente podem ser alvo de ações executivas. Já foram formalizadas 500 execuções fiscais junto da AT nas duas mil interpelações feitas pela Ordem.

Investimento chinês captado por vistos gold cai 16% até agosto e o de origem brasileira sobe 41%

O investimento por via de Autorizações de Residência para Atividade de Investimento subiu 80,6% em agosto, face a igual período de 2018, para 82,5 milhões de euros.
Comentários