Pedro Nuno Santos sobre saída de Frasquilho: “quisemos iniciar esta nova fase com uma nova equipa”

Depois de Miguel Frasquilho ter confirmado a saída da TAP, Pedro Nuno Santos frisa que a decisão não foi motivada por uma “quebra de confiança”, mas sim, na necessidade da TAP avançar para uma nova fase com uma nova equipa.

O ministério dos Transportes e das Infraestruturas frisou que a saída de Miguel Frasquilho do Conselho de Administração da TAP traduz-se numa nova fase da empresa, descartando rumores de que a saída foi motivada por uma “perda de confiança”.

Em declarações ao jornalistas, esta quarta-feira, em Arruda dos Vinhos, Pedro Nuno Santos afirmou: “o Governo português está muito  agradecido a Miguel Frasquilho. Vamos entrar numa nova fase da vida da TAP, com o plano de reestruturação a ser aprovado em Bruxelas, esperemos nós. A nossa intenção foi iniciar um novo ciclo com uma nova equipa. Quisemos iniciar esta nova fase com uma nova equipa”, afirmou.

Pedro Nuno Santos reconhece ainda que “Miguel Frasquilho, tal como os outros administradores, fizeram um trabalho muito importante pela TAP em nome do Estado e do país” numa altura em que o sector da aviação sofria impactos significativos por causa da pandemia da Covid-19 e por isso ressalva estar agradecido pelo trabalho desempenhado.

Miguel Frasquilho, que vai deixar o cargo de chairman da TAP, sendo substituido por Manuel Beja no novo Conselho de Administração, afirmou esta quarta-feira que não se concretizou uma conjugação de vontades com o acionista Estado para continuar nas funções que desempenhou nos últimos quatro anos.

Em carta dirigida aos colaboradores da TAP, Frasquilho explicou que “para poder continuar nas funções que tenho vindo a desempenhar, seria necessária, como sempre disse quando questionado sobre o tema, uma conjugação de vontades entre mim próprio e o acionista Estado”.

Quanto às investigações relacionadas com Nuno Araújo, Pedro Nuno Santos garante que “foi um bom chefe gabinete, é um bom presidente do Porto de Leixões”, frisando nunca ter “nenhum indício de que usava as suas funções para benefício próprio”. Posto isto, o governante ressalva a importância da investigação do Ministério Público que decorre, acrescentando que “devemos aguardar com calma para podermos tirar as nossas conclusões”.

Nuno Araújo, ex-chefe de gabinete do atual ministro das Infraestruturas, foi esta terça-feira alvo de buscas por parte do DCIAP e da PJ. Em causa estão suspeitas de corrupção e tráfico de influências.

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) e a Polícia Judiciária explicam que no âmbito desta investigação “investigam-se factos relacionados com a celebração, por ajuste direto, de aquisição de serviços entre uma sociedade comercial e os referidos municípios e a empresa pública”. As autarquias envolvidas são as de Coimbra, Valongo, Vila Real de Santo António e Gondomar.

 

Relacionadas

Frasquilho: “não houve conjugação de vontades entre mim e o Estado para continuar” (com áudio)

“Nunca esquecerei a opção tomada pelo Governo, em representação do Estado, de salvar a TAP, e estarei sempre grato aos contribuintes que, com os seus recursos, numa altura particularmente difícil do País, viabilizaram a sobrevivência da TAP, permitindo trabalhar em prol de um futuro que, tenho toda a confiança nisso, tem todas as condições para ser risonho”, Miguel Frasquilho em carta aos colaboradores.

João Weber Gameiro é o novo CFO da TAP. Manuel Beja substitui Miguel Frasquilho como ‘chairman’

Além de Frasquilho, saem também os não-executivos Bernardo Trindade, António Gomes de Menezes e Fátima Castanheira Geada. Ramiro Sequeira deixa de ser CEO interino, regressando ao cargo de COO. Mantém-se no ‘board’ Alexandra Reis como Chief Corporate Officer, enquanto a espanhola Sílvia Mosquera entra como Chief Commercial Officer.
Recomendadas

5G: Com novas regras em vigor, propostas somam os 375,4 milhões

As propostas dos operadores no leilão 5G somaram hoje 375,4 milhões de euros, no 180.º dia de licitação principal, de acordo com os dados divulgados pela Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

Presidente da ANA não antevê novo aeroporto antes de 2035/2040

O presidente do Conselho de Administração da ANA -Aeroportos de Portugal disse, esta segunda-feira, que Portugal não deve ter uma nova infraestrutura aeroportuária antes de 2035/2040 e pediu uma solução política célere.

Linha de Apoio à Qualificação da Oferta com 20 milhões aprovado, diz Rita Marques

A Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, na conferência do Turismo, fez um ponto da situação do Plano Reativar o Turismo. Recorde-se que foi um plano apresentado maio deste ano, com quatro eixos de atuação.
Comentários