Pesquisam opiniões, preços e informações na internet: o que fazem os portugueses antes de comprar online?

Inquérito sobre e-commerce realizado em parceria entre o Portal da Queixa e a empresa Netquest, quis perceber quais são os comportamentos dos portugueses na hora de comprar online, o que pesquisam e onde, e se são influenciados na decisão de compra.

Mais de metade dos portugueses utilizam a internet para pesquisa de opiniões, preços e informações, de acordo com um inquérito sobre e-commerce realizado em parceria entre o Portal da Queixa e a empresa Netquest. Dos mais de 5 mil inquiridos, 53% afirmam que consultam “sempre” as opiniões de outros clientes na internet antes de fazerem compras online e só 3% “nunca” consultaram nenhum tipo de informação antes de realizar o mesmo procedimento.

Antes de fazerem as compras online, oito em cada dez dos inquiridos optam por comparar preços ou funcionalidades, bem como a opinião de outros consumidores em sites e plataformas, como o Portal da Queixa, sendo que os homens comparam mais os produtos e serviços do que as mulheres, mas procuram menos as opiniões de outros consumidores.

O mesmo número de consumidores do ponto anterior consultam informação, antes da compra online em motores de busca. Mais de metade usa o site da marca ou comparadores de preço, enquanto que quatro em cada dez utilizam o Portal da Queixa.

Os homens são quem mais utiliza os comparadores de preço, enquanto as mulheres destacam o uso do Portal da Queixa e das redes sociais.

Recomendadas

A sonhar com as férias: Qual é o melhor dia para viajar? E qual o melhor dia para marcar viagem?

São muitos dias da semana para decorar, mas este estudo garante sucesso quando se trata de manter dinheiro na carteira.

Já não é preciso cartão bancário para utilizar o Multibanco

Porém, precisa de ter a aplicação “MB Way”. “Como o próprio nome indica, a funcionalidade «Utilizar Multibanco» permite usar a maioria das operações dos caixas automáticas apenas com a ‘app’, sem ter de usar o cartão, que, assim, pode ficar em casa”, diz a SIBS. A empresa financeira, que gere esta rede, está a dizer adeus às carteiras, e até já enviou lenços para a despedida.

Reclamações por fraude bancária disparam

O número de queixas já levou a que o Banco de Portugal emitisse um “alerta público”. A Procuradoria-Geral da República confirmou ao “Público” a “recepção das cerca de duas dezenas de participações” feitas pelo regulador.
Comentários