Petrobras regista lucro de 1,4 milhões de euros no terceiro trimestre do ano

O acordo firmado pela Petrobras com órgãos de Justiça dos Estados Unidos no valor de 3,5 mil milhões de reais (823 milhões de euros) para encerrar processos e investigações teve impacto nestes resultados.

A petrolífera estatal brasileira Petrobras registou um lucro de 6,6 mil milhões de reais (1,4 mil milhões de euros) no terceiro trimestre de 2018, segundo um balanço financeiro divulgado hoje.

O saldo positivo registado de julho a setembro decorre de maiores margens de derivados de petróleo no mercado interno e externo, do aumento dos preços das ‘commodities’ no mercado internacional e ao aumento da procura de diesel e ao corte de despesas administrativas, refere a empresa.

O acordo firmado pela Petrobras com órgãos de Justiça dos Estados Unidos no valor de 3,5 mil milhões de reais (823 milhões de euros) para encerrar processos e investigações teve impacto nestes resultados.

A petrolífera destacou que, excluindo as provisões feitas para os acordos nos Estados Unidos, o lucro no período seria de 10,2 mil milhões de reais (2,3 mil milhões de euros).

Por outro lado, a recuperação de 1,7 mil milhões de reais (400 milhões de euros) pela Operação Lava Jato, investigação policial que investiga desvios na empresa e em órgãos públicos do Brasil, aparece como dado positivo que ajudou na consolidação do resultado atingido no período.

Nos nove primeiros meses deste ano, a Petrobras totalizou um lucro total de 23,6 mil milhões de reais (5,5 mil milhões de euros), o melhor resultado desde 2011. O dado também indica uma subida de 371% em relação ao mesmo período de 2017.

O balanço da Petrobras mostrou que houve uma queda de 34% do lucro na comparação com o segundo trimestre do ano, quando a companhia obteve lucro de 10 mil milhões de reais (2,3 mil milhões de euros).

Já na comparação do terceiro trimestre de 2018 com o mesmo período do ano passado, quando a empresa registou um lucro de 266 milhões de reais (62,5 milhões de euros), o resultado obtido foi 25 vezes maior.

Nesta mesma base de comparação, nota-se que a receita da estatal brasileira somou 98,26 mil milhões de reais (23,1 mil milhões de euros) no trimestre, uma subida de 37% face ao mesmo período do ano passado, quando estava em 71,8 mil milhões de reais (16,6 mil milhões de euros).

O Ebitda (sigla em inglês usada para indicar os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) teve um aumento de 55%, passando de 19,2 mil milhões de reais (4,5 mil milhões de euros) entre julho e setembro de 2017 para 29,8 mil milhões de reais (7 mil milhões de euros) no mesmo período de 2018.

A Petrobras destacou que no final de setembro o seu endividamento subiu 4%, atingindo o montante de 291,83 mil milhões de reais (68,6 mil milhões de euros) devido à depreciação da moeda brasileira face ao dólar.

O prazo médio de vencimento da dívida da Petrobras no terceiro trimestre ficou em 9,05 anos.

Ler mais
Recomendadas

Presidente promulga com “dúvidas” venda de banco da Caixa em Cabo Verde

A CGD está a vender o Banco Comercial do Atlântico, um dos dois detidos pelo grupo bancário público em Cabo Verde, mantendo a sua participação no banco Interatlântico.

Telefónica analisa compra parcial da Oi, avaliada em 6 mil milhões

A Oi é detida em cerca de 5% pela Bratel da portuguesa Pharol, ex-PT SGPS, que por sua vez tem como acionista o Novo Banco com ​9,56%. E o BCP tem poder para vender os 9,99% da High Bridge por conta de uma dívida bancária não paga.

ASF aprova norma que estabelece qualificação adequada para vendedores de seguros

A ASF entende que o reforço da qualificação “em impacto na qualidade da prestação de serviços, na diminuição da conflitualidade e do número de reclamações, o que, por seu turno, acarreta consequências positivas em termos reputacionais e da imagem do setor”.
Comentários