Petrolífera Anadarko anuncia “oportunidade para várias gerações” em Moçambique

O projeto de exploração de gás natural na Área 1 da bacia do Rovuma é uma oportunidade para várias gerações de moçambicanos, referiu este terça-feira o presidente da petrolífera que lidera o investimento.

O projeto de exploração de gás natural na Área 1 da bacia do Rovuma é uma oportunidade para várias gerações de moçambicanos, referiu este terça-feira o presidente da petrolífera que lidera o investimento.

“Não estamos a falar apenas de um tipo de oportunidade que acontece uma vez numa geração, é algo que vai além disso, de gerações e de vidas e estamos muito contentes de anunciar isto hoje”, referiu Al Walker, presidente da Anadarko.

Aquele responsável falava durante a cerimónia, em Maputo, de anúncio da decisão final de investimento do consórcio de exploração de gás natural da Área 1 da bacia do Rovuma.

“Todas as condições foram alcançadas, vamos avançar para a fase de construção” das infraestruturas, salientou.

Al Walker considera que o projeto tem potencial para crescer e dispõe de “fundações seguras” para os próximos passos.

“Falamos muito de coisas transformadoras no mundo e este projeto encaixa bem nessa descrição”, apontando para a multiplicação do Produto Interno Bruto (PIB) de Moçambique graças a uma fonte de riqueza “sustentável” e de “longo prazo”.

Al Walker considera que o projeto vai ser também transformados ao criar milhares de postos de trabalho para moçambicanos, assim como novas oportunidades nas áreas da educação e formação.

O consórcio da Área 1 é liderado pela petrolífera Anadarko – que deve ceder a posição à francesa Total até final do ano – e prevê um investimento em infraestruturas de 25 mil milhões de dólares.

O empreendimento de extração, liquefação e exportação marítima de gás natural deve entrar em funcionamento em 2024.

Ler mais
Recomendadas

Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

PremiumMontepio Crédito defende CFEI para capitalizar empresas

Pedro Gouveia Alves realça que este instrumento de crédito fiscal já deu provas positivas em 2014. Autonomia financeira do setor ronda apenas os 20%.

PremiumProibição dos festivais até ao final de setembro “é uma catástrofe para centenas de empresas”

Todos os serviços que estão integrados na realização de um festival musical estão a ser afetados pela lei que proíbe a realização desse tipo de eventos.
Comentários