Pharol afunda mais de 13% na bolsa de Lisboa

As ações da empresa afundam 13,14% para 0,1216 euros, o que corresponde ao valor mais baixo desde julho de 2016.

Luís Palha da Silva, CEO da Pharol

Os títulos Pharol está a desvalorizar 13,14% na bolsa portuguesa, depois de ter sido noticiado que o Banco Comercial Português (BCP) quer que as ações da High Bridge na da gestora de participações sejam vendidas.

As ações da empresa liderada por Luís Palha da Silva estão a afundar 13,14% para 0,1216 euros, o que corresponde ao valor mais baixo desde julho de 2016.

A High Bridge detém uma participação na Pharol, correspondente a quase 10% do seu capital, mas depois do BCP ter adquirido o direito de propriedade na segunda-feira, 12 de agosto, as ações da Pharol, que foram dadas como colateral, deverão ser vendidas. O cenário surge na sequência da High Bridge Unipessoal ter entrado em incumprimento do empréstimo celebrado pelo banco liderado por Miguel Maya.

[Dados das cotações, 09h22]

BCP quer vender as ações da Pharol

Ler mais

Relacionadas

Bolsa de Lisboa abre em baixa condicionada pelas perdas da Europa

A bolsa nacional manter-se condicionada pelos mercados europeus. Doze cotadas estão a negociar em baixa e seis em alta.
Recomendadas

Wall Street em alta à boleia do PIB chinês

Para além do PIB chinês, os investidores centraram a sua atenção nos dados económicos americanos.

Moody’s mantém ‘rating’ de Portugal inalterado

Agência norte-americana não se pronunciou sobre a notação da dívida soberana portuguesa, que se mantém em ‘Baa3’ e perspetiva ‘positiva’. Tal como na primeira avaliação do ano passado, a Moody’s atualizou apenas o calendário indicativo da próxima avaliação, marcada para 17 de julho.

EDP valoriza PSI 20 no fecho da sessão e em sintonia com as praças europeias

Praça lisboeta fechou a sessão desta sexta-feira com uma subida de 0,16% para 5.315,53 pontos, seguindo a tendências das suas congéneres europeias.
Comentários