Pilotos da British Airways aceitam cortes salariais e despedimentos

Os pilotos irão ver o seu salário reduzido inicialmente em 20%, um corte que diminuirá para 8% nos próximos dois anos e chegará a zero no longo prazo.

Os pilotos da companhia aérea British Airways aceitaram um corte salarial temporário de 20% e 270 despedimentos de funcionários para amenizar os impactos financeiros originados pela pandemia da Covid-19, informou este sábado o sindicato.

“Os nossos associados tomaram uma decisão pragmática nestas circunstâncias, mas o facto de não termos convencido a British Airways a evitar todas as demissões é muito dececionante”, afirmou em comunicado o secretário-geral da Associação Britânica de Pilotos de Linha Aérea (BALPA), Brian Strutton.

Os pilotos irão ver o seu salário reduzido inicialmente em 20%, um corte que diminuirá para 8% nos próximos dois anos e chegará a zero no longo prazo, numa medida votada por 85% dos quase 4 mil e 300 pilotos da maior companhia aérea do Reino Unido.

A decisão visa responder à queda na procura causada pelo novo coronavírus, após negociações mantidas com os sindicatos desde abril, quando o proprietário IAG (International Airlines Group) sugeriu cortes de 12 mil postos laborais.

Apesar de a British Airways planear 1.255 demissões e a recontratação com outras condições de trabalho, a BALPA firmou um acordo que antecipa 270 despedimentos obrigatórios, que devem baixar com as medidas voluntárias de mitigação propostas, excluindo a possibilidade de “demissão e recontratação (com piores condições)”.

Os pontos acordados admitem a opção de trabalhar a meio tempo, despedimento com indemnização e licenças voluntárias, conforme explica a estrutura sindical.

A BALPA está a ponderar a criação de uma bolsa de 300 pilotos, que receberiam menor remuneração e estariam preparados para regressar ao trabalho assim que a procura aumentasse.

A decisão da BALPA é conhecida um dia após o IAG, que também controla as companhias espanholas Iberia, Level e Vueling e a irlandesa Aer Lingus, ter anunciado perdas de 3,8 milhões de euros no primeiro semestre de 2020 devido à pandemia.

O grupo espanhol e britânico transportou 20,38 milhões de passageiros entre janeiro e junho, menos 63,5% do que há um ano, enquanto os 508 mil viajantes no segundo trimestre de 2020 representam uma quebra de 98,4% relativamente ao período homólogo de 2019.

Ler mais
Recomendadas

Lucros do Bankinter caíram 42% para 317 milhões em 2020

O resultado líquido do Grupo Bankinter em 2020 foi de 317,1 milhões de euros, menos 42,4% do que em 2019, devido a 242,5 milhões de provisões Covid-19. Em Portugal resultado cai 31%, mas o crédito subiu 7% e os recursos 6%.

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.
Comentários