PJ deteve homem procurado desde 1999 por homicídio em Itália

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem, em Vila Real, que era procurado desde 1999 por ter sido condenado a 25 anos de prisão pelo crime de homicídio em Itália, anunciou esta segunda-feira esta força policial.

A Unidade de Informação de Investigação Criminal da PJ informou, em comunicado, que localizou e deteve, na passada semana, um cidadão estrangeiro, em cumprimento de um mandado de detenção europeu emitido pelas autoridades judiciárias italianas.

A polícia disse que o detido, de 56 anos, residiu em Itália, onde foi condenado a uma pena de 25 anos de prisão pelo crime de homicídio.

De acordo com a PJ, o homem “era procurado desde 1999, nunca tendo sido localizado”.

A Judiciária explicou que teve conhecimento que o indivíduo poderia encontrar-se no Norte de Portugal, tendo-o localizado e detido no concelho de Vila Real.

Depois de detido, foi presente ao Tribunal da Relação de Guimarães que determinou que ficasse a aguardar os posteriores termos do processo de extradição, sujeito à medida de coação de prisão preventiva.

Recomendadas

Luanda Leaks: “O Ministério Público não deixará de analisar toda a informação que tem vindo a público”, diz PGR

O Ministério Público (MP) vai analisar todas as informações que têm sido divulgadas sobre Isabel dos Santos. Fonte oficial da Procuradoria-Geral da República (PGR) disse ao Jornal Económico que o “MP não deixará de analisar toda a informação que tem vindo a público”.

Isabel dos Santos: “Em nenhuma parte destes documentos foi demonstrado qualquer comportamento ilegal da minha parte”

Isabel dos Santos enviou um comunicado às redações acusando o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) de não ter provas contra ela e voltou a afirmar que esta campanha “é puramente política”.

Mandado de captura para Isabel dos Santos? “Se a lei permitir, utilizamos todos os meios”, admite PGR de Angola

Sobre Isabel dos Santos, Hélder Pitta Gróis coloca a hipótese de emissão de um mandado de captura em aberto: “Se no caso dela e se a lei permitir, nós utilizamos todos os meios que a lei nos permite”.
Comentários