Plataforma promete “voltar à luta” pela recuperação das freguesia

Plataforma Nacional Recuperar Freguesias, que representa 31 uniões de freguesias, diz-se pronta para o “combate político que irão travar”.

A Plataforma Nacional Recuperar Freguesias prometeu hoje “voltar à luta” pela recuperação das autarquias extintas pelo Governo do PSD/CDS-PP, através de ações de sensibilização da população e da criação de petições.

“As freguesias foram extintas, mas nunca será extinta a vontade de as repor”, assume.

Numa nota enviada à Lusa, a plataforma explica que esta decisão foi tomada após uma reunião com representantes dos movimentos cívicos, na quarta-feira, na Maia, no distrito do Porto.

A organização garante estar preparada para mobilizar todas as pessoas de Norte a Sul do país para, nas próximas eleições autárquicas, “penalizar nas urnas” os partidos políticos que nada fizerem para mudar o atual cenário.

Dizendo-se prontos para o “combate político que irão travar”, os movimentos cívicos que integram a plataforma vão realizar, nos próximos meses, reuniões nacionais e regionais, petições online e campanhas de sensibilização junto das populações.

A Plataforma Nacional Recuperar Freguesias envolve 31 movimentos cívicos de todo o país, o que representa 31 uniões de freguesias.

O distrito de Faro, Lisboa e Santarém tem um movimento cívico, Viana do Castelo e Aveiro dois, Porto 10 e Braga 14.

Na sequência da reforma de 2013, sob a responsabilidade do então ministro social-democrata Miguel Relvas, as 4.259 freguesias então existentes passaram para 3.092 (na ilha açorina do Corvo a freguesia é assumida pelo município).

Ler mais
Recomendadas

PAN: “Estado de Emergência não significa necessariamente que tenha que existir um confinamento”

Em declarações ao Jornal Económico, Inês Sousa-Real assinala que “o que importa neste momento é percebermos onde é que estão as cadeias de transmissão”, defendendo que proporcionalidade e adequação das medidas consoante as localidades e regiões.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.

Governo vai ter de responder a providência cautelar do Chega contra restrições à circulação sem estado de emergência

Supremo Tribunal Administrativo dá 24 horas ao Conselho de Ministros para se pronunciar sobre alegação de inconstitucionalidade da resolução que proíbe deslocações entre concelhos das 00h00 de sábado até às 06h00 da próxima terça-feira.
Comentários