‘PME Excelência’ cresceram 22% face a 2018

As empresas distinguidas representam um volume de negócios de 10 mil milhões de euros, dos quais 24% são resultantes de exportações.

O número de ‘PME Excelência’ cresceu 22% face ao que se verificou no ano passado. Na gala que hoje, dia 17 de abril, vai distinguir as melhores PME no Altice Braga, numa cerimónia que vai contar com a presença do primeiro ministro António Costa, serão premiadas com o estatuto de ‘PME Excelência’ 2.378 empresas de vários setores de atividade, mais 22% que no ano passado.

A iniciativa é promovida pelo IAPMEI e pelo Turismo de Portugal e contará também com a presença do ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e do secretário de Estado da Economia, João Neves.

No decorrer da cerimónia serão distinguidas as ‘PME Excelência’ que se destacaram nas categorias: ‘Mais Exportação’, ‘Mais Produtividade’, ‘Criação de Valor’, ‘Mais Crescimento’, ‘Empresa Gazela’, ‘Mais Emprego’, e ‘Longevidade’.

“Esta iniciativa do IAPMEI foi criada com o objetivo de reconhecer as PME nacionais, que se evidenciam pela qualidade dos seus desempenhos económico-financeiros e se mostram capazes de atingir altos padrões competitivos”, destaca um comunicado do organismo.

De acordo com Nuno Mangas, presidente do IAPMEI, “as ‘PME Excelência’ são empresas financeiramente robustas, que apresentam um elevado padrão competitivo, assente em estratégias de inovação e internacionalização, desempenhando um papel de grande relevância ao nível do emprego e do desenvolvimento local e regional”.

“Para o IAPMEI e para o País, é um orgulho verificar o crescimento e notoriedade que este Estatuto tem vindo a conquistar entre as empresas portuguesas”, defende aquele responsável.

De acordo com o referido comunicado, “em 2018, entre as 2.378 empresas que conquistaram o estatuto de ‘PME Excelência’, um quarto das empresas premiadas (604) são empresas de média dimensão, enquanto 1.652 são de pequena dimensão e 122 são microempresas”.

“Em conjunto, as ‘PME Excelência’ são responsáveis por 86.606 postos de trabalho e por um volume de negócios superior a 10 mil milhões de euros, o que representou um crescimento médio de 19,3% em relação ao ano anterior”, destaca o comunicado em causa.

Ainda segundo esse documento, “a maioria das PME excelência que se destacaram pelos melhores desempenhos económico-financeiros e de gestão, desenvolvem a sua atividade nos setores da indústria (30,2%), no setor do comércio (25,4%) e ainda no setor do turismo (19,8%)”.

Quanto à distribuição geográfica, as ‘PME Excelência’ estão sediadas em todos os distritos do país, com maior concentração em Lisboa, onde se encontram o maior número de empresas distinguidas (509), correspondendo a 21,4% do total.

Seguem-se os distritos do Porto, com 436 empresas (18,3%), Aveiro com 276 empresas (11,6%), Braga com 240 empresas (10,1%), Faro com 193 empresas (8,1%) e Leiria com 176 empresas (7,4%).

“As empresas distinguidas representam um volume de negócios de 10 mil milhões de euros, dos quais 24% são resultantes de exportações. As ‘PME Excelência 2018’ apresentam uma autonomia financeira média de 60% e níveis de rendibilidade dos capitais próprios, do investimento e das vendas, superiores à média das ‘PME Líder 2018’. De salientar ainda que estas empresas registaram um crescimento de 40% nos seus resultados líquidos, de 30% no EBITDA e de 16% no seu ativo”, conclui o comunicado do IAPMEI.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Cerca de 49 mil empresas no mundo utilizam as IFRS

Mais de 33% das operações financeiras são transfronteiriças e as IFRS têm contribuído para a redução do custo de financiamento das empresas e para identificação de novas oportunidades de investimento.

“O CybELE está focada na observação da Terra“

Venceu no Troféu Startup. O CybELE tem como objetivo trabalhar a indústria espacial, um setor de grandes oportunidades para as empresas que, querem inovação, afirma o CEO, Robin Bouvier.

Exportação chega aos 99,9% para empresas como a Apple e a Microsoft

A Visound Acústica venceu o Troféu Inovação. “Este troféu gentilmente atribuído pela CCI Luso-Francesa é o reconhecimento do nosso trabalho, e a prova que a visão estratégica da empresa estava correta”, afirma o CEO César Carapinha.
Comentários