Poiares Maduro compara Luanda Leaks com caso Rui Pinto: “Qual a razão para certos leaks poderem ser livremente usados e outros não?”

O ex-ministro veio a público colocar uma “pergunta desconfortável”, comparando o processo de Isabel dos Santos ao de Rui Pinto.

Miguel Poiares Maduro questionou a forma como estão a ser utilizados os documentos do Luanda Leaks, comparando-o ao processo do Football Leaks, que envolve o hacker português Rui Pinto.

“Pergunta desconfortável: qual a razão para certos leaks poderem ser livremente usados e outros não? Alguém me explica o critério por detrás do diferente tratamento que diferentes leaks têm em Portugal?”, questionou o ex-ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional do Governo de Passos Coelho.

O Luanda Leaks revelou 715 mil documentos, de um consórcio de jornalistas de investigação, que mostram como Isabel dos Santos construiu a sua fortuna à custa do Estado de Angola. A empresária Isabel dos Santos diz que a investigação se baseia em “documentos e informações falsos” e é coordenada pelo Estado de Angola, de quem acusa de fazer um “ataque político”.

Em entrevista à “RTP3” no dia 9 de janeiro, Miguel Poiares Maduro mostrou-se preocupado pela forma como em Portugal o processo do hacker Rui Pinto está a ser conduzido.  “A única preocupação e aspeto que está a ser investigado é a própria prática de crimes por Rui Pinto e se parece ignorar tudo o que está à volta”, afirmou.

Miguel Poiares Maduro mostrou também preocupação pela imagem que o Ministério Público está a transmitir para o panorama internacional. “Se lermos o que a imprensa internacional diz, a perceção é de que em Portugal, aquilo que pode estar em causa com o Rui Pinto são interesses poderosos que o país não gosta de colocar em causa”.

 

Ler mais
Relacionadas

Isabel dos Santos: Angola escolheu um caminho em que “todos vão ficar a perder”

A empresária angolana Isabel dos Santos considerou hoje à televisão BBC, reagindo às acusações da ‘Luanda Leaks’, que “todos vão ficar a perder” devido às investigações, lamentando “que Angola tenha escolhido este caminho”.

Isabel dos Santos diz que Luanda Leaks é baseado em documentos falsos e coordenado por governo de Angola

O Luanda Leaks revelou 715 mil documentos, de um consórcio de jornalistas de investigação, que mostram como Isabel dos Santos construiu a sua fortuna à custa do Estado de Angola.

Miguel Poiares Maduro: “Rui Pinto? Única preocupação é investigar a prática de crimes e ignorar o que está à volta”

O antigo presidente do Comité de Governação da FIFA mostra também preocupação pela imagem que o Ministério Público está a transmitir para o panorama internacional. “A perceção é de que em Portugal, aquilo que pode estar em causa com o Rui Pinto são interesses poderosos que o país não gosta de colocar em causa”, refere.
Recomendadas

Centenas manifestam-se em Londres contra extradição de Julian Assange

“Boris Johnson, tem vergonha”, cantaram os manifestantes ao passarem por Downing Street, a residência do primeiro-ministro britânico.

Operação Lex: Marcelo não comenta antes de o Conselho Superior da Magistratura se pronunciar

Questionado se situações como esta adensam o descrédito da população na Justiça, o Presidente começou por reiterar não querer pronunciar-se “antes de o órgão que tem competência para apreciar essa matéria no quadro do poder judicial se pronunciar”.

ISV: Fisco ‘perde’ recurso por ausência de respostas ao Constitucional

Na origem deste recurso esteve um processo, que correu no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), movido por um contribuinte que reclamava da forma como foi aplicado o Imposto Sobre Veículos (ISV) num carro usado importado de outro país da União Europeia.
Comentários