Polémica: dobragem da série ‘Einstein’ gera críticas ao AXN

Telespectadores mostram-se descontentes com a possibilidade de assistirem à nova série do AXN sem legendas e dobrada em português.

O AXN estreia brevemente a série Einstein. No entanto, ainda antes da estreia o canal está a sofrer fortes críticas no facebook. A razão? A série será dobrada.

Os espectadores do canal mostram-se descontentes com a possibilidade de assistirem à série sem legendas, e sim, dobrada em português. Ao contrário de alguns mercados como o espanhol e brasileiro, o público português não se mostra recetivo a esta opção.

Na página da rede social do canal, multiplicam-se as críticas dos telespectadores que se opõem a esta possibilidade e alguns utilizadores questionam o canal se a opção foi por a série ser alemã.

O Jornal Económico tentou contactar o canal de televisão, mas até ao momento sem sucesso.

Recomendadas

Impresa consegue reembolsar empréstimo obrigacionista de 30 milhões

Em julho de 2017 a Impresa tentou fazer uma emissão obrigacionista de 35 milhões de euros que acabou por cancelar por não conseguir colocar. Entretanto vendeu as revistas, entre as quais a Visão e a Exame, e o edifício de Paço d’Arcos ao Novo Banco, por 24,2 milhões. Com isto conseguiu pagar aos obrigacionistas o empréstimo emitido em 2014.

FPF anuncia acordo com Altice, NOS e Vodafone para o “canal 11”

O canal ‘11’ será dirigido por Nuno Santos e, além da atividade das diversas seleções nacionais masculinas e femininas de futebol, futsal e futebol de praia, dedicará especial atenção aos treinadores e jogadores portugueses que atuam no estrangeiro, bem como às competições nacionais dos diferentes escalões.

Relatório do Reuters Institute conclui que os portugueses estão preocupados com as “fake news”

O que mais preocupa os inquiridos em Portugal são “as notícias em que os factos são manipulados para favorecer uma agenda específica (70,1%), notícias falsas para fins políticos e/ou comerciais (69,2%) e jornalismo de má qualidade (67,5%) devido a erros factuais, cobertura insuficiente de histórias, títulos enganadores ou ‘clickbait’”.
Comentários