Polícia catalã faz buscas no FC Barcelona e detém ex-presidente Bartomeu

A polícia catalã está segunda-feira a efetuar buscas nos escritórios do FC Barcelona, por suspeitas de corrupção, e efetuou três detenções, entre as quais do antigo presidente do clube espanhol Josep María Bartomeu, confirmaram à EFE fontes judiciais.

Segundo as fontes citadas pela agência noticiosa espanhola, foram também detidos o atual diretor geral do clube, Óscar Grau, e o antigo diretor da presidência, Jaume Masferrer, numa operação desencadeada esta manhã em Barcelona.

A polícia tem efetuado buscas nos escritórios do clube, dentro do estádio Nou Camp, e, segundo a EFE, as diligências prévias encontraram indícios de corrupção e outros delitos criminais.

As buscas estão relacionadas com o caso denominado ‘Barçagate’, que partiu de uma denúncia de um grupo de adeptos, cujo processo segue em segredo de justiça até 10 de março, e, segundo a imprensa local, relaciona-se, entre outros, com uma campanha de difamação levada a cabo contra concorrentes da administração de Bartomeu.

Bartomeu, de 58 anos, foi presidente do ‘Barça’ entre 2014 e 2020, com Carles Tusquets a sucedê-lo, de forma interina, a partir de outubro do ano passado, após muita pressão de adeptos e até de atletas, como o futebolista argentino Lionel Messi, que ‘ameaçou’ sair no verão de 2020.

Recomendadas

Superliga: Criadores pretendem remodelar prova após êxodo dos ingleses

O Manchester City foi o primeiro dos clubes ingleses a oficializar, na terça-feira, a saída da Superliga, seguindo-se, pouco depois e praticamente ao mesmo tempo, Arsenal, Liverpool, Manchester United e Tottenham, antes de o Chelsea consumar o abandono de toda a ‘elite’ do futebol britânico, já na madrugada de hoje.

Superliga: Arsenal, Liverpool, Tottenham e Manchester United também abandonam

Os ‘citizens’ anunciaram anteriormente que já tinham iniciado formalmente o procedimento para se retirarem do grupo responsável pelo desenvolvimento do projeto da Superliga europeia, tendo agora sido seguidos por mais estes quatro clubes ingleses, estando ainda na calha a eventual saída do Chelsea.

Fernando Santos mostra-se “totalmente contra” criação da Superliga

“Nem me passa pela cabeça que isso possa ser viável, sinceramente. Não faz nenhum sentido. O que vai trazer de positivo ao futebol? Menor qualidade, só”, referiu o selecionador nacional.
Comentários