Politécnico de Santarém lança curso pioneiro para pessoas com deficiência intelectual

O curso Literacia Digital para o Mercado de Trabalho arranca este ano e é um exemplo de desmistificação da empregabilidade da pessoa com deficiência no ensino superior em Portugal.

Arranca este ano letivo 2018/2019 na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém um curso pioneiro em Portugal para pessoas com deficiência intelectual. Literacia Digital para o Mercado de Trabalho não confere grau, mas responde a todas as directivas do Conselho Nacional de Educação, o que lhe dá certificação legal.

O curso pretende “colmatar uma lacuna na oferta formativa em Portugal, minimizando a falta de formação profissional adaptada”.

Os critérios de seleção incluem a apresentação de um atestado de incapacidade igual ou superior a 60%, ter competências básicas mínimas ao nível da leitura e da escrita e competência média/alta em termos de sociabilidade. Os candidatos serão ainda submetidos a uma entrevista de avaliação psicopedagógica.

O lançamento deste modelo de formação inclusiva em contexto de ensino superior valeu à Escola Superior de Educação de Santarém o primeiro prémio no Seminário Internacional “Educação Inclusiva – atitudes que transformam”, que decorreu nos dias 14 e 15 de setembro, em Lisboa. O trabalho “Literacia Digital para o Mercado de Trabalho – uma formação no ensino superior para jovem com dificuldade intelectual e desenvolvimental” é da autoria de Maria Potes Barbas, Isabel Piscalho, Cristina Novo, Helena Luís, Carla Bastos, Nádia Lopes e Mário José.

A ESES, em conjunto com a Associação Incluir e a APPACDM de Santarém, conseguiu ainda o 2.º lugar com o trabalho “Projeto Sou, Consigo e Faço – A inclusão profissional das pessoas com deficiência no mercado de trabalho”.

Recomendadas

“Overtourism”: Estas 10 cidades estão a ser engolidas pelo turismo em massa

Com cada vez mais viajantes, o conceito de turismo em excesso alargou-se a mais destinos. Conheça os países que vão ser as principais vítimas deste fenómeno na próxima década.

O que fazer quando um crédito “desaparece” da Central de Responsabilidades

No caso de o crédito “desaparecer” da CRC não significa que a dívida deixou de existir, sendo que o consumidor mantém a sua responsabilidade perante a obrigação. Esta situação poderá ocorrer aquando da cessão de crédito (venda da dívida a terceiros), a favor de uma entidade fora do sistema financeiro, pelo que esta passa a assumir a posição de credor.

Mais de metade dos portugueses não confiam em fazer compras pela internet

Entre os consumidores que já aderiram às compras pela internet, 65% destacam como grande vantagem a comodidade. Por outro lado, 44% vê nas devoluções o maior entrave no ‘e-commerce’.
Comentários