Porque têm as empresas de produtos de consumo de se transformar em empresas de soluções de consumo?

Nestes últimos meses temos tido o privilégio de estar com cada vez mais empresas que estão a tentar formar relações diretas com os consumidores, obrigando desta forma a que o retalho tenha a necessidade de redefinir o seu propósito e encontrar novas formas de criar valor.

Nestes últimos meses temos tido o privilégio de estar com cada vez mais empresas que estão a tentar formar relações diretas com os consumidores, obrigando desta forma a que o retalho tenha a necessidade de redefinir o seu propósito e encontrar novas formas de criar valor.

O digital criou novas formas para as startups venderem produtos de consumo diretamente ao consumidor final. Desde as lâminas de barbear à beleza feminina, estas estão a ultrapassar os retalhistas e a ganhar quota de mercado às tradicionais empresas de produtos de consumo.

O retalho online tem visto a sua percentagem nas vendas totais de retalho a aumentar em todos os países. Mas acreditamos que, apesar de o impacto estar a ser altamente disruptivo, este é apenas o início de uma mudança muito maior e radical.

E se os ativos digitais se tornassem a norma, em vez dos produtos físicos? Os consumidores poderiam então utilizar código fonte digital e tecnologias de produção caseiras, tais como a impressão 3D, para produzirem por si mesmos os seus produtos finais.

Todos nós poderíamos produzir a nossa própria escova dos dentes, desenhada para a forma única da nossa boca. Sensores digitais recolheriam e partilhariam os nossos dados de higiene dentária com designers na empresa de produtos de consumo, a qual os utilizaria para produzir de forma mais eficaz a nossa próxima escova de dentes. Poderíamos produzir uma nova a cada dia, na nossa própria casa de banho. Em vez de comprar um produto (uma escova de dentes) subscreveríamos uma solução personalizada e otimizada de saúde dentária.

É com esta perspetiva e baseado em metodologias de Design Centrado em Pessoas, que temos vindo a trabalhar com diversas empresas de produtos de consumo e retalhistas para compreender como algumas das assunções fundamentais que definiram a indústria nas últimas décadas estão a mudar, e o que isto significa para as empresas hoje. Irá o digital transformar as empresas de produtos de consumo em empresas de soluções de consumo? E qual o impacto desta transformação nos retalhistas?

Hoje, muitos de nós já escolheram possuir menos, com as subscrições a tornarem-se a norma em muitas das áreas da nossa vida. Pagamos para ter acesso a música e automóvel, e no futuro iremos fazer o mesmo com roupas e gadgets. Não serão tanto os objetos que possuímos que nos conferirão status, mas sim as experiências que teremos.

De uma coisa estamos certo… as necessidades dos consumidores estão a mudar e o mundo do retalho que os serve tem também de mudar. As empresas que estão a liderar esta transformação irão usar a tecnologia e os dados para se tornarem parte da vida dos consumidores, oferecendo-lhes muito mais do que apenas produtos… oferecendo-lhes soluções.

Ler mais
Recomendadas

Dados, análise e personalização como fator de competitividade

Muitas empresas estão hoje empenhadas em fixar preços de forma dinâmica ou seja, pessoas diferentes pagam preços diferentes pelo mesmo produto ou serviço mas esta prática deve ser acompanhada também de um ajuste das experiências que se oferecem aos clientes, com base na informação recolhida, muitas vezes em tempo real, tratando-os de forma personalizada.

Paridade de género: Será bom para as empresas começar pelo Conselho de Administração?

Os mercados estão cada vez mais dinâmicos, com mudanças impulsionadas pela tecnologia, por alterações demográficas e por um papel mais ativo dos consumidores. Num mundo em constante desenvolvimento, as empresas com equipas diversas e ambientes inclusivos ficam em vantagem face aos seus concorrentes.

O lado positivo da disrupção

Hoje em dia é comum falar-se de disrupção para nos referirmos à mudança acelerada de muitos aspetos da nossa vida e da economia, mas por vezes não se distingue as diversas facetas dessa disrupção, distintas ainda que interligadas.
Comentários