Porsche desperta alma elétrica. Preço do Taycan superam os 158 mil euros

Para a primeira performance de um veículo elétrico da marca, a Porsche apostou na divulgação das versões mais potentes. Com o modelo regular a debitar 500 quilowatts (kW) ou 680 cavalos de potência, o Turbo S está reforçado com um total de 761 cavalos ou 650 kW.

Porsche Taycan

A Porsche divulgou esta semana a imagem da sua “alma elétrica”: Porsche Taycan Turbo e Taycan Turbo S. A criação deste novo “desportivo de alta performance” é um marco para a empresa, uma vez que este é o seu primeiro carro elétrico do construtor alemão.

Para a primeira performance de um veículo elétrico da marca, a Porsche apostou na divulgação das versões mais potentes. Com o modelo regular a debitar 500 quilowatts (kW) ou 680 cavalos de potência, o Turbo S está reforçado com um total de 761 cavalos ou 650 kW.

Os dois veículos recorrem a dois motores elétricos que garante “a mais elevada densidade energética de todos os conjuntos elétricos disponíveis no mercado nos dias de hoje”, garantiu a empresa alemã. Tendo a ligação ao desportivo, os carros apresentam ainda uma transmissão de duas velocidades, semelhantes à Fórmula E.

O Taycan Turbo demora 3,2 segundos a atingir os 100 quilómetros por hora, enquanto o Turbo S demora 2,8 segundos a atingir a mesma velocidade. Estes dois veículos têm a velocidade máxima limitada a 260 quilómetros horários.

As baterias com certificação WLTP apresentam autonomia para valores entre os 412 e 450 quilómetros. Ligado a uma corrente contínua, o carregamento pode estar finalizado ao fim de 93 minutos, enquanto numa corrente alternada demora até dez horas.

Disponível em dez cores, os preços no Taycan Turbo iniciam-se nos 158 mil euros, sendo que para o Turbo S acrescem mais de 34 mil euros, superando os 192 mil euros.

Ler mais

Recomendadas

PSI 20 em queda acompanha Europa condicionada pelos receios de propagação do coronavírus

Doze empresas cotadas desvalorizam, cinco valorizam e uma cotada negoceia sem variação na bolsa nacional.

Wall Street contagiada pelo Covid-19. Ganhos de 2020 foram anulados num dia

O petróleo também está a cair. Em Londres, o barril de Brent, referência para a Europa, tomba 4,12%, estando a negociar nos 55,55 dólares. Já o West Texas Intermediate, nos Estados Unidos, desvaloriza 3,97%, para 51,26 dólares.

Coronavírus em Itália leva a ‘mini-crash’ nas bolsas da Europa

NOS, Mota-Engil, CTT e BCP lideram nas quedas de mais de 5%. A Europa viu os mercados de ações caírem fortemente com o avanço do coronavírus no norte de Itália. O ouro acabou por ser visto como ativo de refúgio e sobe 1,81%. Ao contrário o petróleo está em queda expressiva.
Comentários