Portal da Queixa: Estas foram as marcas e serviços que mais reclamações geraram em 2017

Em 2017, o Portal registou um aumento de 85% no número de reclamações recebidas, face ao período homólogo, num total de 80.939 queixas, um número que, na opinião da empresa, vem atestar que os portugueses estão a reclamar mais.

“Portugueses queixam-se mais e preferem plataformas digitais na hora de reclamar”, está é uma das principais conclusões obtidas pelo Portal da Queixa – rede social de consumidores em Portugal – na mais recente análise à atividade da sua plataforma. Em 2017, o Portal registou um aumento de 85% no número de reclamações recebidas, face ao período homólogo, num total de 80.939 queixas, um número que, na opinião da empresa, vem atestar que os portugueses estão a reclamar mais.

Quanto à crescente procura por plataformas digitais na hora de reclamar, apesar de não intervir na relação dos consumidores com as marcas, não efetuando qualquer mediação do conflito entre as partes, o Portal considera que esta conclusão é corroborada ”por um comportamento evidenciado na quebra da procura dos canais tradicionais, nomeadamente, as associações de consumidores, que assistiram a uma redução significativa do número de consumidores que as procuraram no ano transato, ora porque não conseguem dar resposta em tempo útil, ora porque têm custos associados e apresentam mecanismos obsoletos”.

Quanto aos principais visados das queixas apresentadas, por setor de atividade, as operadoras de TV, Internet e Telefone lideram, tendo recolhido 14.175. O pódio fica completo com o comércio eletrónico (8.538 reclamações) e o Correio Postal e Expresso (7.801).

Neste ranking seguem-se os Serviços do Estado (6.566), Água, Eletricidade e Gás (4.558), Comércio a retalho (2.866), Transportes Públicos de Passageiros (2.538), Saúde (2.349), Viagens e Turismo (1.101), Banca e Produtos Financeiros (1.073), Seguros e Planos de Saúde (1.052), Hiper e Supermercados (812), Venda e Reparação Automóvel (736), Desporto e Bem-Estar (371) e Restauração (371).

O Portal divulga ainda o ranking das marcas e neste caso, em primeiro lugar está a MEO com 5.085 queixas, segue-se os CTT (3.748), NOS (3.684), Segurança Social (2.620), Vodafone (1.550), Worten (976), Audilar (868), Galp On (858), GLS (816), eDreams (763), Nowo (703), Goldenergy (674), EDP Comercial (667) e Continente (551).

Apesar de terem sido alvo da insatisfação dos consumidores, importa reter que as marcas que mais resolveram reclamações aos consumidores foram a NOS (1906), Worten (743), Goldenergy (669), EDP Comercial (588), Medicare (481), Segurança Social (439), CTT (435) e MEO (390). Em 2017, das reclamações apresentadas através do Portal da Queixa, 67% obtiveram resposta e tratamento por parte das marcas visadas.

Ler mais
Recomendadas

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

Governo estuda emissão de obrigações para empresas industriais

O Governo está a estudar lançar emissões de obrigações agrupadas para vários setores, nomeadamente o industrial, depois de anunciar hoje uma operação destinada a empresas de turismo, de acordo com o ministro Adjunto e da Economia.

“A economia está a arrefecer”, alerta banco central da Alemanha 

O Bundesbank, banco central alemão, considerou esta segunda-feira que a economia da Alemanha está a abrandar após um período de grande prosperidade, mas espera uma estabilização no segundo semestre do ano.
Comentários