Portas quer “travar” arrogância do PS e pede voto no CDS-PP para somar deputados

Apelo foi feito por Paulo Portas na última ação de campanha dos centristas, um almoço em Setúbal, onde esteve ao lado da presidente centrista, Assunção Cristas.

O ex-líder do CDS-PP Paulo Portas defendeu esta sexta-feira que é preciso “travar” a arrogância do PS e apelou à concentração dos votos no partido para “somar” deputados no parlamento e formar uma maioria de centro direita.

O apelo foi feito por Paulo Portas na última ação de campanha dos centristas, um almoço em Setúbal, onde esteve ao lado da presidente centrista, Assunção Cristas, e em que avisou ser necessário concentrar votos no CDS-PP, nas eleições legislativas de domingo.

Há a necessidade, afirmou, de “travar a crescente arrogância do discurso do poder” dos socialistas.

“Se eles são assim sem maioria, imaginem o que seriam em maioria”, declarou Portas.

Na atual conjuntura, acrescentou, “é preciso concentrar os votos naqueles que podem eleger deputados”, numa referência aos pequenos partidos.

“Pode haver ideias interessantes em partidos novos, mas os deputados que são eleitos são os que contam”, os do CDS-PP, disse ainda.

Para Paulo Portas, os deputados do CDS-PP “somam e sem eles não há uma maioria para mudar”, de centro direita.

“Não queiram acordar na segunda-feira com deputados a mais na esquerda, deputados a mais radicais e deputados a menos no CDS”, referiu, pedindo trabalho aos militantes a convencer eleitores até ao dia das eleições.

Recordou ainda as eleições legislativas de 2015, em que a coligação PSD/CDS-PP ganhou as eleições, mas não teve uma maioria parlamentar.

“Não contou quem ganhou, contou quem somou deputados no parlamento. Os deputados do CDS somam e sem eles não há uma maioria para mudar”, insistiu.

Assunção Cristas fez também um último apelo, aos eleitores, para que “não dispersem votos”, e descreveu o apoio ao CDS-PP como um voto “fiável e muito seguro”.

“Não vão ao engano”, disse ainda Cristas, recordando aqueles que, nas eleições de há quatro anos, poderiam querer penalizar, “mas pouco” a coligação, que depois ficou aquém da maioria necessária para governar.

O dia de campanha eleitoral do CDS-PP foi encurtado hoje, devido à morte do fundador do CDS Diogo Freitas do Amaral, na quinta-feira, aos 78 anos, tendo sido cancelada a arruada na Baixa de Lisboa e uma festa-comício, ao fim da tarde, em frente à sede do partido, também na capital.

Ler mais
Relacionadas

Cristas faz apelo à “união do CDS” e pede voto dos indecisos contra esquerda

A líder centrista, Assunção Cristas, fez um apelo à união no partido, de “todos os que um dia já votaram no CDS”, aos insatisfeitos a darem-lhe apoio nas legislativas e ajudarem a dar uma “surpresa” no domingo.
Recomendadas

Bloco de Esquerda questiona Governo sobre impacto da poluição do Aeroporto Humberto Delgado

Os bloquistas querem saber que medidas estão previstas para mitigar os efeitos da poluição atmosférica, numa altura em que se prevê o tráfego aéreo aumente para os 72 aviões por hora, mais do que um por minuto.

PSD quer audição urgente de Mário Centeno no Parlamento devido a alteração nas PPP

Deputados sociais-democratas da Comissão de Orçamento e Finanças querem ouvir ministro das Finanças por estarem preocupados com “diminuição da transparência” na constituição de parcerias público-privadas.

Passes, energia renovável e eficiência. Os truques de Medina para combater as alterações climáticas

“Olhando para os dados, os últimos anos foram os mais quentes de que há registo”, afirmando que esta é uma das realidades mais visíveis no nosso país, que tem enfrentado secas extremas, incêndios e cheias.
Comentários