PremiumPortugal atinge recorde de 24 milhões de turistas em 2019

Presidente do Turismo de Portugal acredita que o crescimento verificado no final do primeiro semestre se irá manter na segunda metade do ano.

Muitas têm sido as profecias da desgraça sobre o futuro do turismo em Portugal e da alegada quebra do setor na contribuição significativa que tem tido nos últimos anos para a recuperação da economia nacional. Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, em entrevista ao Jornal Económico, é de opinião contrária e revela que até ao final do primeiro semestre o setor cresceu 6% em número de turistas e 7% em receitas face ao período homólogo. Mais: acredita que é possível manter este ritmo de crescimento até ao final deste ano, mesmo admitindo que estamos a entrar numa fase de abrandamento, uma vez que não é possível repetir o acréscimo de receitas acumulado de 45% verificado em Portugal nos últimos três anos.

Se se confirmarem as previsões de Luís Araújo, Portugal irá superar a barreira dos 24 milhões de turistas no final do presente ano, uma vez que em 2018, segundo as estatísticas recentemente divulgadas pelo INE – Instituto Nacional de Estatística recebeu um total de 22,8 milhões de turistas, o que o colocou no 17º lugar no ranking dos países com maior número de turistas a nível mundial, de acordo com a OMT – Organização Mundial de Turismo.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.

Companhia aérea Emirates planeia eliminar até 9 mil postos de trabalho

Antes do início da pandemia da covid-19, a companhia aérea contava com 60.000 funcionários e, em 31 de maio, anunciou despedimentos, apesar de não especificar quantos seriam.
Comentários