Portugal com quarto maior aumento dos preços das casas na UE no segundo trimestre

Os maiores aumentos homólogos dos preços das casas foram registados na Hungria (14,0%), no Luxemburgo (11,4%), na Croácia (10,4%) e em Portugal (10,1%), tendo havido um recuo, de 0,2%, em Itália.

Cristina Bernardo

Portugal teve o quarto maior aumento homólogo dos preços das casas (10,1%) no segundo trimestre do ano, mais do dobro do avanço da zona euro e da União Europeia (4,2% cada), segundo o Eurostat.

No segundo trimestre do ano, os preços das habitações, medido pelo índice dos preços das habitações, aumentou 4,2% na zona euro e na União Europeia (UE) face ao mesmo período de 2018 e, respetivamente, 1,7% e 1,6% na comparação em cadeia.

Os maiores aumentos homólogos dos preços das casas foram registados na Hungria (14,0%), no Luxemburgo (11,4%), na Croácia (10,4%) e em Portugal (10,1%), tendo havido um recuo, de 0,2%, em Itália.

Face ao primeiro trimestre do ano, entre abril e junho, os preços do imobiliário para habitação subiram em todos os Estados-membros, com especial destaque para a Letónia (5,6%), Luxemburgo (5,1%) e Chipre (4,2%).

Em Portugal , o preço das casas avançou 3,2% do primeiro para o segundo trimestre do ano.

Recomendadas

Guerra comercial: Durão Barroso diz que na hora da escolha, Europa optaria pelos Estados Unidos

Antigo presidente da Comissão Europeia explicou que apesar do maior dinamismo da relação entre a União Europeia e a China, a relação económica e geopolítica com os Estados Unidos continua a pesar mais.

Novos sinais de trânsito chegam às estradas portuguesas em abril de 2020

Alterações ao regulamento de sinalização de trânsito, hoje publicadas em Diário da República, indicam que a partir de 1 de abril de 2020 não podem ser colocados sinais novos que não estejam de acordo com as normas agora aprovadas.

Redução do malparado poderia aumentar PIB per capita em 12 pontos percentuais em dez anos

Estudo estima que alterações ao nível da qualidade da regulação também permitiriam que Portugal tivesse um maior crescimento económico, de mais de sete p.p. em dez anos, enquanto alterações no sistema legal e combate à corrupção poderiam contribuir para um aumento de mais de três p.p. do PIB per capita ao fim de dez anos.
Comentários