Portugal “dificilmente” ultrapassaria crise sem a UE, defende presidente do Montepio Crédito

Pedro Gouveia Alves lembra que cerca de dois terços das exportações portuguesas vão para Estados-membros da UE e que Portugal tem beneficiado muito dos acordos comunitários, mas ainda há espaço para Portugal se afirmar.

Cristina Bernardo

O presidente do Montepio Crédito, Pedro Gouveia Alves, afirmou esta terça-feira que se Portugal não pertencesse à União Europeia (UE) dificilmente ultrapassaria a crise financeira. Pedro Gouveia Alves lembra que cerca de dois terços das exportações portuguesas vão para Estados-membros da UE e que Portugal tem beneficiado muito dos acordos comunitários, mas ainda há espaço para Portugal se afirmar.

“O que seria de Portugal durante o período de assistência financeira se não estivéssemos na UE? Teríamos certamente um problema do qual dificilmente nos livraríamos nas próximas décadas”, afirmou Pedro Gouveia Alves, num debate sobre “Portugal e o Futuro da União Europeia” no ciclo de conversas mensais “30 a 3” promovido pelo Jornal Económico e pelo Montepio Crédito.

Assumindo-se como um europeísta convicto, Pedro Gouveia Alves defendeu que estar na União Europeia traz “mais benefícios do que riscos ou entraves ao desenvolvimento dos países per si“. Exemplo disso, indica, são as exportações nacionais, que em mais cerca de dois terços são escoadas para os mercados comunitários.

Pedro Gouveia Alves salienta, no entanto, que é preciso uma maior “defesa de Portugal no espaço europeu e de uma intervenção ativa no espaço europeu” e que é importante não olhar para “a Europa como um dado adquirido”. O presidente do Montepio Crédito nota que a saída do Reino Unido da UE vai penalizar Portugal e é preciso encontrar uma forma alternativa para Portugal se afirmar.

“Temos de dizermos o que queremos. Esse é o grande desafio do atual Governo”, indica.

“Portugal e o Futuro da União Europeia” foi a quarta de seis conversas mensais promovidas pelo Jornal Económico e pelo Montepio Crédito, que visa visam promover o debate e o esclarecimento público sobre os grandes temas decisivos para o futuro de Portugal.

Nas três edições já realizadas foram abordados outros temas como o setor do turismo em Portugal, o universo da emergente Indústria 4.0 e ainda o dossier da liderança.

Ler mais
Relacionadas

Brexit vai influenciar Orçamento da UE e condicionar fundos de coesão, defende eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar

A eurodeputada social-democrata Cláudia Monteiro Aguiar indica que o Brexit dominou as discussões europeias nos últimos anos e obrigou a “colocar em segundo plano” outras questões importantes para a UE, como os transportes, turismo e alterações climáticas.

30’ A 3: “Portugal e o Futuro da União Europeia” em debate

Esta será uma conversa a três, já que se juntam à eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar, Pedro Gouveia Alves, presidente do Montepio Crédito, e o diretor adjunto do Jornal Económico, Shikresh Laxmidas, a quem caberá a moderação deste encontro. Acompanhe a conversa em direto no site e nas redes sociais do Jornal Económico.
Recomendadas

Conferência debate formas de construir e promover a marca Portugal

“Portugal é um bom produto, que consegue conciliar vários produtos: tradicionais (as pessoas), os que a geografia física nos deu (o clima), bem como outros de modernidade (a inovação)”, garante Carlos Sezões, coordenador do ‘think-thank’ Portugal Agora.

PremiumPedro Gouveia Alves: “Enquanto cidadãos devemos defender Portugal na UE”

Presidente do Montepio Crédito considera que a adesão à União Europeia trouxe “mais benefícios do que riscos” e ajudou Portugal durante a crise.

PremiumPortugal precisa de se afirmar para compensar cortes nos fundos europeus

Eurodeputada Cláudia Monteiro Aguiar acredita que a saída do Reino Unido da União Europeia vai obrigar a cortes nas verbas destinadas à coesão. Portugal pode sofrer e terá de encontrar novas formas de se afirmar.
Comentários