Portugal e Cabo Verde destacam simbolismo do 10 de Junho e marcam VI Cimeira para 2021

Portugal e Cabo Verde apontaram este sábado a realização de parte das comemorações oficiais do 10 de Junho na Praia e Mindelo como “um momento simbólico relevante” do relacionamento bilateral e marcaram a VI Cimeira para 2021, em Cabo Verde.

Vicent West/Reuters

“A VI Cimeira Cabo Verde – Portugal terá lugar em 2021, em Cabo Verde, em data e local a serem oportunamente acordados pela via diplomática”, refere a declaração conjunta que sai da V Cimeira Portugal-Cabo Verde, que hoje termina em Lisboa.

No texto, os dois países sublinharam que parte das comemorações deste ano do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas “decorrerão em paralelo na cidade de Portalegre, em Portugal, e junto das comunidades portuguesas na Praia e no Mindelo, em Cabo Verde”, considerando este “um momento simbólico relevante que testemunha a excelência do relacionamento bilateral que a todos os níveis vem sendo mantido” entre os dois países.

A declaração conjunta acordada entre os primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, realça o papel das comunidades cabo-verdiana em Portugal e portuguesa em Cabo Verde, que aponta como “um elemento essencial de ligação entre os dois países”.

“Em simultâneo, renovaram o compromisso de promover iniciativas conducentes a uma plena integração das respetivas comunidades”, refere o texto acordado entre Portugal e Cabo Verde.

Os dois países congratulam-se com os resultados da última cimeira da CPLP, em julho do ano passado na ilha do Sal, e, em particular, com a reafirmação pelos Chefes de Estado e de Governo de que “a mobilidade e a circulação no espaço da Comunidade constituem um instrumento privilegiado para a progressiva construção de uma Cidadania da CPLP”.

“Neste contexto, reiteraram o empenho dos dois países em contribuir ativamente para os trabalhos em curso na Organização no sentido de se alcançarem avanços substantivos”, refere a declaração conjunta da V Cimeira.

Portugal e Cabo Verde registam ainda “a intensidade que caracteriza as relações económicas entre os dois países e saudaram os níveis de investimento expressivos recentemente alcançados”, sinalizando a importância do Programa de Privatizações em curso em Cabo Verde e o arranque do Centro Internacional de Negócios de Cabo Verde.

“Assinalaram com apreço a concretização do Compacto Lusófono com o Banco Africano de Desenvolvimento e realçaram o empenho na assinatura em breve do Memorando específico para Cabo Verde, salientando a importância da sua operacionalização para o reforço da cooperação económica bilateral e do investimento privado em Cabo Verde”, lê-se na declaração conjunta da V Cimeira Portugal-Cabo Verde.

Em jeito de balanço, Portugal e Cabo Verde consideram que “a V Cimeira permitiu comprovar a relevância da parceria estratégica entre os dois Estados e a excelência das relações bilaterais, alicerçada numa abrangente e diversificada cooperação”.

“Sob o lema ‘Juntos na Parceria Estratégica por um Desenvolvimento Inclusivo’, a presente Cimeira traduziu a visão partilhada e a vontade comum dos dois Estados para trabalharem em prol do desenvolvimento económico, social e humano sustentável das respetivas sociedades”, destaca o texto, que salienta a importância do Programa Estratégico de Cooperação 2017-2021 enquanto documento orientador da cooperação entre Portugal e Cabo Verde.

Quanto à Parceria Especial Cabo Verde-UE, os dois países “comprometeram-se a continuar o trabalho para que atinja novos patamares”.

Na V Cimeira Portugal-Cabo Verde, os dois países assinaram 10 acordos de cooperação para o financiamento de projetos nas áreas da educação, saúde, administração pública, justiça ou administração interna.

Os dois governos fizeram ainda o balanço da execução do Programa de Cooperação Estratégica Portugal-Cabo Verde 2017-2021, assinado há dois anos na cidade da Praia, com um pacote financeiro na ordem dos 120 milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Itália abre fronteiras mas exclui países que impõem restrições a italianos

Os passageiros serão testados à chegada e, se mostrarem resultados negativos para a infeção, ficarão em quarentena por sete dias. Se o teste der positivo, ou seja, se mostrarem que os viajantes estão infetados com covid-19, a quarentena será de 14 dias.

“Decepcionante e inexplicável”. OMS reage ao fim da cooperação com os EUA

EUA pagam entre 364 e 455 milhões de euros por ano à OMS, um valor que é muito superior aos 36 milhões de euros da China, conforme tem apontado Donald Trump.

Covid-19: Alemanha regista quase 182 mil casos e 8.511 mortes

A Alemanha contabiliza até hoje 181.815 casos de covid-19, um aumento de 333 em relação ao dia anterior, e 8.511 vítimas mortais, uma subida de 11 nas últimas 24 horas.
Comentários