Portugal é o segundo país da Europa com mais emigrantes

De acordo com o mais recente relatório do Observatório da Emigração, Malta lidera a tabela a nível da população que sai do país. Em relação a Portugal, 2,3 milhões de pessoas vivem no estrangeiro.

Portugal é o segundo país da Europa com mais emigrantes, logo depois de Malta. Segundo os números da Organização das Nações Unidas, presentes no relatório do Observatório da Emigração, 22% da população portuguesa vive no estrangeiro (2,3 milhões de pessoas).

“É preocupante pelas características da nova emigração e que não é comparável à emigração dos anos 1960. Agora temos uma emigração qualificada. São jovens em que se investiu muito durante a sua formação académica e profissional”, justifica Maria Filomena Mendes, presidente da Associação Portuguesa de Demografia, ao jornal “Público”, que teve acesso ao documento.

De acordo com a docente universitária, estes valores que foram esta sexta-feira apresentados resultam da História demográfica portuguesa e, “mesmo quando a emigração baixou, os portugueses nunca deixaram de emigrar”.

Os dados, que dizem respeito a 2015, mostram que há cerca de dois anos se manteve o mesmo número de saídas de Portugal para o estrangeiro registadas no pico atingido em 2013, que corresponde a mais de 110 mil anualmente.

Os portugueses que saem do país dirigem-se sobretudo para o Reino Unido (32.301 foram para o país em 2015), França (18.480), Suíça (12.325), Alemanha (9195) e Angola (6715). Ainda assim, a emigração portuguesa também é notória em países como Espanha, Bélgica, Moçambique, Luxemburgo, Holanda, Brasil, Dinamarca, Estados Unidos, Canadá, Áustria, Noruega, Itália, Suécia, Irlanda e Macau

Depois de Malta e de Portugal o país que se segue no ‘ranking’ da emigração é a Croácia, onde 20,6% da população está a morar no estrangeiro.

Ler mais

Recomendadas

Carga fiscal em Portugal subiu para 35,4% do PIB em 2018

A carga fiscal em Portugal subiu dos 34,3% do PIB em 2017 para os 35,4% em 2018, o valor mais elevado desde 2000, acima da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Metade das rendas do programa de rendas acessíveis estão abaixo dos 500 euros

O Governo espera dentro de dois anos que 20% dos contratos de arrendamento firmados serão feitos no âmbito do PAA. A maioria dos contratos estão a ser assinados em Lisboa, diz a tutela.

Portugal cresce acima da zona euro que estabilizou no terceiro trimestre

A contribuir para esta evolução esteve o aumento de 0,5% do consumo das famílias na zona euro e na União Europeia a 28, enquanto o investimento avançou 0,3%, uma queda abrupta após ter aumentado 5,7% na zona euro e 4,3% na UE28 no trimestre anterior.
Comentários