Portugal é o sétimo país do mundo com melhor proficiência em inglês

É o melhor registo de sempre no ‘ranking’ “EF English Proficiency Index”, que envolve 2,2 milhões não nativos na língua.

Andrew Boyers / Reuters

Portugal é o sétimo país do mundo com melhor proficiência em inglês, segundo o rankingEF English Proficiency Index” de 2020, que analisou dados de 2,2 milhões não nativos de inglês em 100 países e regiões do globo. O país surge atrás da Áustria (6ª posição), Noruega (5ª), Suécia (4ª), Finlândia (3ª), Dinamarca (2.º) e Holanda, que lidera a tabela deste ano.

Depois de, no ano passado, Portugal ter entrado pela primeira vez no grupo de países com “elevada proficiência” em inglês, este acabou por ser o melhor registo de sempre no ranking elaborado pela empresa de educação internacional.

Em termos de cidades, o Porto é, pelo segundo ano consecutivo, a cidade portuguesa onde melhor se fala inglês, seguindo-se Coimbra (2º), Braga (3º) e Lisboa (4º), segundo o índice que tem por base os resultados do teste EF SET (EF Standard English).

“Embora 2020 tenha sido um ano desafiador, as circunstâncias também destacaram a importância de uma comunicação e cooperação claras além das fronteiras. O inglês como língua franca global continua a unir as pessoas”, afirma o vice-presidente executivo da Education First para Assuntos Académicos, Christopher McCormick.

Há inclusive diferenças de género e idade. Em Portugal, os homens conseguiram obter melhor classificação dos que as mulheres, apesar de este ano o sexo feminino ter tido um nível “muito elevado” de inglês (61,3 pontos) – superior à média dos homens de todo o mundo (49,8 pontos). E os jovens portugueses entre os 21 e os 25 anos de idade continuam a ser os que têm as melhores notas nesta avaliação.

Porém, as organizações continuam a ‘lutar’ por reter talentos nacionais. “Apesar da alta correlação entre a proficiência em inglês e o índice de competitividade global de talentos, um relatório que avalia a capacidade de um país de atrair, desenvolver e reter trabalhadores qualificados, Portugal e a África do Sul fogem à tendência. Os dois países, apesar de terem uma elevada proficiência em inglês e ao contrário do restante grupo que lidera este ranking, estão abaixo da linha de correlação no que respeita à capacidade de atrair e reter trabalhadores qualificados”, refere a empresa.

EF English Proficiency Index 2020 

  • 1            Holanda
  • 2            Dinamarca
  • 3            Finlândia
  • 4            Suécia
  • 5            Noruega
  • 6            Áustria
  • 7            Portugal
  • 8            Alemanha
  • 9            Bélgica
  • 10          Singapura
  • 11          Luxemburgo
  • 12          África do Sul
  • 13          Croácia
  • 14          Hungria
  • 15          Sérvia
  • 16          Polónia
  • 17          Roménia
  • 18          Suíça
  • 19          República Checa
  • 20          Bulgária
  • 21          Grécia
  • 22          Quénia
  • 22          Eslováquia
  • 24          Lituânia
  • 25          Argentina
  • 25          Estónia
  • 27          Filipinas
  • 28          France
  • 29          Letónia
  • 30          Itália
  • 30          Malásia
  • 32          Coreia do Sul
  • 33          Hong Kong, China
  • 34          Nigéria
  • 34          Espanha
  • 36          Costa Rica
  • 37          Chile
  • 38          China
  • 39          Paraguai
  • 40          Bielorrússia
  • 41          Cuba
  • 41          Rússia
  • 43          Albânia
  • 44          Ucrânia
  • 45          Macau, China
  • 46          Bolívia
  • 47          Geórgia
  • 48          República Dominicana
  • 49          Honduras
  • 50          India
  • 51          Arménia
  • 51          Uruguai
  • 53          Brasil
  • 54          Tunísia
  • 55          Japão
  • 56          El Salvador
  • 56          Irão
  • 56          Panamá
  • 59          Perú
  • 60          Nepal
  • 61          Paquistão
  • 62          Etiópia
  • 63          Bangladesh
  • 63          Guatemala
  • 65          Vietname
  • 66          Emirados Árabes Unidos
  • 67          Venezuela
  • 68          Sri Lanka
  • 69          Turquia
  • 70          Kuwait
  • 71          Qatar
  • 72          Jordânia
  • 73          Nicarágua
  • 74          Bahrein
  • 74          Indonésia
  • 74          Marrocos
  • 77          Colômbia
  • 78          Mongólia
  • 79          Mongólia
  • 80          Angola
  • 81          Mongólia
  • 82          México
  • 83          Egito
  • 84          Camboja
  • 85          Sudão
  • 86          Azerbaijão
  • 87          Síria
  • 88          Usbequistão
  • 89          Camarões
  • 89          Tailândia
  • 91          Costa do Marfim
  • 92          Cazaquistão
  • 93          Equador
  • 93          Mianmar
  • 95          Ruanda
  • 96          Quirguistão
  • 97          Arábia Saudita
  • 98          Omã
  • 99          Iraque
  • 100        Tajiquistão
Recomendadas

Covid-19: Risco “muito raro” de miocardite e pericardite após vacinação, diz regulador da UE

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) concluiu esta sexta-feira que o risco de miocardite e pericardite é “muito raro” após toma das vacinas antiCovid-19 assentes na tecnologia do RNA mensageiro, da Pfizer/BioNTech e Moderna, confirmando os benefícios dos fármacos.

“Eu sou só um passageiro”, diz Eduardo Cabrita sobre acusação do seu motorista (com áudio)

O ministro da Administração Interna assume que ninguém está acima da lei e que todo o cenário que envolveu o acidente que matou um trabalhador na A6 deve ser esclarecido sem “qualquer repugnante aproveitamento político”.

Motorista de Cabrita acusado de homicídio por negligência (com áudio)

Procuradora do Ministério Público considerou que o motorista Marco Pontes não teve uma “condução segura”, segundo o “Observador”.
Comentários