Portugal mantém 34º lugar no ranking global da competitividade da economia

O relatório, que se debruça sobre 141 países, melhora a pontuação global de Portugal para 70,4 pontos. A categoria de implementação de tecnologias da informação e comunicação registou a maior subida (4,1 pontos) no país, enquanto o mercado de produto e o mercado laboral tiveram a maior queda de pontos.

Portugal manteve o 34º lugar no ranking mundial das economias mais competitivas, na avaliação do World Economic Forum. No relatório da instituição, divulgado esta quarta-feira, o país alcançou 70,4 pontos, com o setor da implementação das tecnologias da informação e comunicação a registar a maior subida de pontuação e o mercado do produto a maior descida.

O relatório, que se debruça sobre 141 países, melhora a pontuação global de Portugal em 0,2 pontos apesar de manter o lugar no ranking. A categoria de implementação de tecnologias da informação e comunicação registou a maior subida (4,1 pontos), alcançando 71,2 pontos e o 34º lugar a nível global.

Em contra-ciclo, o mercado do produto registou a maior queda (2,2 pontos), tendo 59,7 pontos e ocupando o 39º lugar a nível mundial. Também o mercado laboral registou uma pior performance, ao perder 1,5 pontos para 63,2 pontos e o 49º lugar.

Ainda assim, a categoria na qual Portugal regista melhor pontuação é a saúde (94 pontos e o 22º lugar), seguido pela ‘estabilidade macro-economica’ que manteve 85 pontos e ocupada o 62º lugar a nível global.

O ‘ranking’ mundial é liderado por Singapura, que este ano conquista o título aos Estados Unidos. O país liderado por Donald Trump desce ao segundo lugar a economia mais competitiva, seguido por Hong Kong. No pólo oposto, o Chade é considerada a economia menos competitiva do mundo, seguido pelo Iémen e pela República Democrática do Congo.

Recomendadas

Guerra comercial: Durão Barroso diz que na hora da escolha, Europa optaria pelos Estados Unidos

Antigo presidente da Comissão Europeia explicou que apesar do maior dinamismo da relação entre a União Europeia e a China, o peso da relação económica e geopolítica continua a pesar mais.

Novos sinais de trânsito chegam às estradas portuguesas em abril de 2020

Alterações ao regulamento de sinalização de trânsito, hoje publicadas em Diário da República, indicam que a partir de 1 de abril de 2020 não podem ser colocados sinais novos que não estejam de acordo com as normas agora aprovadas.

Redução do malparado poderia aumentar PIB per capita em 12 pontos percentuais em dez anos

Estudo estima que alterações ao nível da qualidade da regulação também permitiriam que Portugal tivesse um maior crescimento económico, de mais de sete p.p. em dez anos, enquanto alterações no sistema legal e combate à corrupção poderiam contribuir para um aumento de mais de três p.p. do PIB per capita ao fim de dez anos.
Comentários