Portugal não precisa de um banco “mau”, diz António Costa

Em entrevista ao jornal alemão Handelsblatt, o primeiro-ministro explicou que o Governo está a trabalhar com o Banco de Portugal para estabilizar o setor da banca nacional.

Os bancos portugueses mostram sinais de melhorias e de não precisarem de apoio do Estado, segundo António Costa. Em entrevista ao jornal alemão Handelsblatt, o primeiro-ministro defendeu que o país não precisa de um banco “mau” e explicou que está a colaborar com o Banco de Portugal para estabilizar o setor da banca.

O Governo e o Banco de Portugal estão a trabalhar para criar uma plataforma de estabilização da banca que vá coordenar o reembolso de dívidas aos bancos, segundo Costa, citado pela agência Reuters.

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, disse esta segunda-feira que o elevado nível do crédito malparado é uma das principais vulnerabilidades da economia portuguesa, pois impede os bancos de ajudarem a financiar a economia real. O crédito malparado também tem sido salientado pelas agências de rating a Portugal. No entanto, o primeiro-ministro disse estar “confiante que vão, proximamente” rever em alta as avaliações”.

António Costa falou também da recuperação económica em Portugal, sublinhando que a razão para a retoma foi o fim da austeridade. “Encontrámos um caminho melhor”, disse, lembrando que há menos de um ano a União Europeia estava prestes a aplica sanções a Portugal devido ao défice. Neste momento, a Comissão Europeia recomendou que o país abandone o Procedimento por Défices Excessivos.

Relacionadas

Draghi elogia “progresso significativo” de Portugal, mas alerta sobre o malparado

Presidente do BCE reconheceu os progressos de Portugal em várias frentes, mas lembrou que o nível do crédito malparado é ainda elevado no país e que este impede os bancos de fornecer crédito à economia real.

Centeno admite solução nacional para malparado

“Vai ser uma solução que tem que ser trabalhada com os participantes do mercado [bancos], tanto na oferta quanto na procura”, disse o Ministro das Finanças.

Centeno: “temos de enfrentar, na Europa, os desafios com que nos deparamos”

Num artigo de opinião intitulado “Um ponto de viragem para Portugal: construir o futuro com base na confiança”, o ministro das Finanças identifica como prioridades completar a União Bancária, o Fundo Europeu de Garantia de Depósitos e encontrar soluções adequadas e estruturais para o crédito malparado.
Recomendadas

Banco Mundial alerta para falta de fundos para os mais pobres

Para David Malpass, o efeito devastador da pandemia na economia mundial é muito superior aos 5 biliões de dólares de riqueza destruída apontados numa primeira estimativa de danos.

Deutsche Bank emite o seu primeiro ‘green bond’

A obrigação verde, de 500 milhões de euros, a seis anos tem um cupão de 1,375%. O banco alemão planeia alocar 200 mil milhões de euros em investimentos sustentáveis ​​até 2025.

Millennium bcp e ActivoBank disponibilizam Apple Pay aos clientes

Os cartões BCP estreiam-se nesta aplicação e acabam com a “exclusividade” do Crédito Agrícola. Os clientes do Millennium passam a poder adicionar os seus cartões ao serviço de pagamentos digitais da Apple, que já vem integrado nos iPhone mais recentes.
Comentários