Portugal pretende duplicar verbas do Horizonte Europa 2021-2027 para dar apoio à investigação e inovação

Para que Portugal consiga arrecadar dois mil milhões de euros do Horizonte 2021-2027 terá que apostar no desenvolvimento, inovação e investigação de projetos viáveis, sustentáveis e úteis à sociedade. “Este é o grande desafio da próxima década. Portugal está preparado para o fazer”, acrescentou o presidente do Instituto Superior Técnico.

Ao abrigo do programa-quadro plurianual Horizonte Europa 2021-2027 da Comissão Europeia, que irá disponibilizar 100 mil milhões de euros para apoiar o desenvolvimento de projetos europeus, Portugal estabeleceu uma meta para receber cerca de dois mil milhões de euros para o mesmo propósito, o dobro do que recebeu no quadro do programa Horizonte 2020.

A garantia foi dada, esta quinta-feira, pelo Presidente da Agência Nacional de Inovação (ANI) durante o segundo dia do Portugal Air Summit, que decorre em Ponte de Sor.

“Dentro do orçamento de 100 mil milhões de euros para a União Europeia (UE), Portugal tem uma meta de conseguir dois mil milhões”, explicou Eduardo Maldonado “O que significa duplicar a verba que conseguimos nos últimos sete anos”.

Segundo o responsável, no programa-quadro do Horizonte 2020 o orçamento foi de 70 mil milhões de euros dos quais Portugal recebeu 1.100 milhões de euros para apoiar os programas de investigação e da inovação nacionais. “Agora a nossa meta é duplicar”, continuou.

Para que esse montante seja concretizado, nomeadamente para o setor da aviação, será necessário desenvolver projetos na área da sustentabilidade, palavra que está na ordem do dia entre os parceiros e órgãos europeus.

“Na aviação a meta é conseguir que o sistema de aviação seja sustentável em termos de emissões de carbono, portanto, carbono zero. Queremos produzir uma nova geração de aeronaves cujo os sistemas não contribuam para o aquecimento global”, adiantou Maldonado. “Portugal tem que estar alinhado e ter metas coincidentes com a União Europeia”, reforçou.

“Estes fundos não vão cair do céu”, referiu o presidente do Instituto Superior Técnico (IST). “Temos que estar preparados para os ir buscar apresentando projetos viáveis, sustentáveis e úteis à sociedade. E este é o grande desafio da próxima década. Portugal está preparado para o fazer”, acrescentou Rogério Colaço.

Para isso será necessário reforçar as parcerias entre as empresas e universidades através da promoção de projetos. “Neste momento, Portugal tem um conjunto de instituições de desenvolvimento, inovação e investigação de grande qualidade em termos internacionais. Neste momento, sinto que o IST e a congéneres nacionais estão preparadas e treinadas para ir buscar estes fundos de financiamento europeus através de projetos competitivos”, defendeu o responsável da instituição.

O Horizonte 2021-2027 é o mais recente programa-quadro de investigação e inovação da UE que tem como objetivo reforçar as bases científica e tecnológica do bloco europeu, prestar apoio ao Espaço Europeu da Investigação (EEI) e aumentar a capacidade de inovação, a competitividade e o emprego na Europa.

Ler mais
Recomendadas

Arranjar o telemóvel em vez de o substituir. Eurodeputados querem dar “direito à reparação” aos consumidores

A resolução do Parlamento Europeu sobre um mercado único europeu mais sustentável em termos económicos e ambientais foi aprovada esta quarta-feira, em sessão plenária, com 395 votos a favor, 94 contra e 207 abstenções.

Simulador lança pedidos de crédito em qualquer banco sem sair de casa

Este projeto foi realizado em parceria com a ALTS Digital, startup tecnológica portuguesa, e permite a comparação de propostas de crédito entre diversas instituições.  Os pedidos são então reencaminhados pela Gestlifes a várias entidades financeiras para que seja encontrada a que melhor responde às necessidades do cliente, evitando que este tenha de falar diretamente com cada uma.

Bruxelas quer criar União Europeia dos Dados para gerar 11 mil milhões por ano até 2028

A quantidade de dados gerados por organismos públicos, empresas e cidadãos está em constante crescimento na UE, estimando o executivo comunitário que se multiplique por cinco entre 2018 e 2025.
Comentários