Portugal regista mais 4.093 casos e 64 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

Direção-Geral da Saúde indica que este domingo que registam-se em Portugal 80.838 mil casos ativos de Covid-19, mais 770 do que no sábado. Portugal atingiu hoje um novo máximo de doentes em cuidados intensivos (536).

Mariscal/EPA via Lusa

Portugal conta com um total de 294.799 casos confirmados da Covid-19, mais 4.093 face ao dia anterior, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo, 29 de novembro. O número de vítimas mortais por infeção com o novo coronavírus aumentou para 4.427. São mais 64 vítimas mortais nas últimas 24 horas.

Os casos ativos de Covid-19 ascendem hoje aos 80.838 infetados, mais 770 do que no sábado. Quanto a internamentos, foram reportados à DGS 3.245 internamentos (mais 90 do que ontem), dos quais 536 em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), o que se traduz em mais sete internamentos em UCI.

Ao dia de hoje, Portugal regista 209.534 casos recuperados desde o início da pandemia no país, mais 3.259 do que no sábado. A DGS adianta também que se encontram em vigilância 80.288 pessoas, menos 197 do que ontem.

De acordo com os dados da organismo liderado por Graça Freitas, existem hoje 154.690 casos registados na região Norte, 29.269 no Centro, 97.684 em Lisboa e Vale do Tejo, 6.010 casos no Alentejo, 5.269 no Algarve, 990 casos na Região Autónoma dos Açores e 887 na Região Autónoma da Madeira.

Dos 4.427 óbitos, registam-se 2.097 no Norte, 564 no Centro, 1.584 em Lisboa e Vale do Tejo, 114 no Alentejo, 49 no Algarve, 17 nos Açores e dois óbitos na Madeira.

Atualmente, existem 130.193 homens e 159.488 mulheres infetados pelo novo coronavírus. Quanto aos óbitos, contabilizam-se 2.302 homens e 2.25 mulheres doentes com Covid-19.

No comunicado deste domingo, a DGS ressalva que está a investigar 5.118, quanto à identificação do género. “Os casos de sexo desconhecido encontram-se sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de forma automática”, explica a DGS.

Ler mais
Recomendadas

Marisa Matias fecha campanha com apelos a “vermelho em Belém”: “a solidariedade vai vencer o ódio”

A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda recordou a defesa que tem feito dos serviços públicos, especialmente do SNS, durante uma crise que é “o jogo das nossas vidas”, como defende. O ódio e o medo que alguns candidatos tentaram usar durante a campanha também mereceu fortes reparos.

Covid-19: Variante da África do Sul já foi identificada em Portugal

O caso identificado em Portugal, através da sequenciação genómica, foi já reportado pelo INSA às autoridades competentes de saúde.

Ana Gomes encerra campanha com apelo ao voto: “Estas são eleições decisivas para a democracia”

A candidata Ana Gomes defende que participação nas eleições, marcadas para dia 24, é essencial para “reforçar a democracia”, que diz estar “sob ataque”, e “barrar os centrões de interesses” que têm prejudicado o desenvolvimento do país.
Comentários