Portugal rendeu perto de 500 milhões de euros em dividendos a Isabel dos Santos

A filha do ex-presidente de Angola começou os grandes investimentos em Portugal em dezembro de 2005, na Galp Energia.

Tiago Petinga/Lusa

A empresária angolana Isabel dos Santos encaixou 494 milhões de euros com os negócios em Portugal, revela o jornal “Público” na edição desta segunda-feira. A filha do ex-presidente de Angola começou os grandes investimentos em Portugal em dezembro de 2005, na Galp Energia.

Em circunstâncias normais (sem contas arrestadas), Isabel dos Santos saberia amanhã e quinta-feira quanto é que iria receber em dividendos este ano das suas participações tanto na petrolífera como na operadora de telecomunicações Nos, tendo em conta que as duas cotadas irão apresentar resultados.

O dinheiro somar-se-ia aos 239 milhões de euros já recebidos da Galp, aos 189 milhões de euros da Zon/Nos e aos 66 milhões de euros do BPI.

Curiosamente, o valor é semelhante ao que a empresária angolana deve aos bancos nacionais. Segundo o “Expresso”, Isabel dos Santos deve 570 milhões de euros às instituições bancárias portuguesas, levando o Banco de Portugal a pedir a bancos e auditores para avaliarem se todos os financiamentos estão cobertos por imparidades.

Segundo o semanário da Impresa, 13 bancos concederam créditos à filha do ex-presidente de Angola, mas três bancos concentram a maior parte da dívida. O regulador bancário já terá pedido a todas as instituições uma atualização sobre todos os financiamentos, assim como aos auditores externos para verificarem a adequação dos níveis de imparidades.

Recomendadas

Executivo ultima propostas para apoiar os media, mas falta consenso no setor

Media vão receber apoios estatais para enfrentar crise gerada pela pandemia da Covid-19. Governo anuncia apoios “em breve”.

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

A edição digital do Jornal Económico vai estar disponível gratuitamente durante as próximas semanas, devido à situação de emergência nacional causada pela epidemia de Covid-19. Desta forma, todos os leitores continuarão a ter acesso ao Jornal Económico.

Bloco de Esquerda pergunta ao Governo se vai impedir distribuição de dividendos da Galp

O Bloco defende que a distribuição de dividendos pela Galp deve ser travada pelo Governo e que o dinheiro deve servir para ajudar a empresa a retomar a sua produção nas refinarias de Sines e Matosinhos depois do fim da crise provocada pela Covid-19.
Comentários