Portugal tem 11 cientistas no grupo dos mais citados no mundo. Três são da UMinho

José Teixeira, António Vicente e Miguel Cerqueira, com ligações Centro de Engenharia Biológica, são dos investigadores mais citados pelos pares. No ranking 2019 figuram 23 Prémios Nobel.

A lista “Highly Cited Researchers 2019”, elaborada pela norte-americana Clarivate Analytics, inclui 6.216 cientistas de cerca de 60 países, dos quais 11 são portugueses. Além dos três cientistas ligados ao Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho – José António Teixeira, António Vicente e Miguel Ângelo Cerqueira, na foto, figuram na lista também: Alan Phillips, da Universidade de Lisboa; Delfim Torres, da Universidade de Aveiro; Filipe Santos, da Católica-Lisbon; Isabel Ferreira, do Instituto Politécnico de Bragança; Jorg Henseler, da Universidade Nova de Lisboa; José António Tenreiro Machado, do Instituto Politécnico do Porto e José Bioucas, da Universidade de Lisboa.

O ranking abrange o período 2008-2018 e incide apenas sobre os artigos altamente citados, que representam 1% do que se publica no mundo por ano e para 21 áreas científicas.

Este é o segundo ano consecutivo que José António Teixeira, António Vicente e Miguel Ângelo Cerqueira, agora a trabalhar no INL, surgem na área das ciências agrárias da lista.

Em comunicado, a Universidade do Minho congratula-se com a relevância dada aos seus cientistas, que traduz “a estratégia da instituição na área da investigação”, nomeadamente do seu Centro de Engenharia Biológica, que é o centro de Investigação e Desenvolvimento (I&D) português com mais cientistas no ranking.

Por exemplo, José António Teixeira teve os seus artigos citados 15.580 vezes e é uma referência na fermentação e tecnologia alimentar, tendo recebido vários prémios.

O ranking mundial é liderado pelos Estados Unidos, com  44% do total das referências. Seguem-se  a China (10%) e o Reino Unido (8%). Na lista há 23 Prémios Nobel e a Universidade norte-americana de Harvard lidera no número de cientistas (203).

As citações são um dos critérios mais utilizados para produzir rankings de instituições de ensino superior e demonstram a influência significativa de um grupo de investigadores entre os seus pares.

As análises bibliométricas da lista foram realizadas pelo Instituto de Informações Científicas do grupo Web of Science, que “pesou” os artigos científicos da mesma “coorte” anual, retirando a vantagem da citação de artigos mais antigos perante os mais recentes.

 

 

Ler mais
Recomendadas

Tecnologia OutSystems integra plano curricular de 13 universidades portuguesas

Programa, lançado há um ano, oferece licenciamento gratuito da plataforma low-code às universidades que queiram usá-lo para fins educacionais.

Investigadores de Coimbra vão ajudar a impulsionar ensino da astronomia no mundo

Nuno Peixinho e Rosa Doran representam Portugal no recém-criado gabinete de ensino da União Astronómica Internacional, que visa promover a astronomia nos currículos nacionais.

Reitores de universidades querem aulas presenciais em setembro e verba no Orçamento Suplementar

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas antevê uma quebra das receitas próprias das instituições em virtude da crise pandémica e pede ao Governo que acautele o problema no Orçamento que está a preparar.
Comentários