Portugal tem mais 850 mil eleitores que população em idade de votar

Emigração é a principal razão para haver menos habitantes do que eleitores. A diferença pode aumentar as despesas do Estado.

Há 8,5 milhões de pessoas em idade de votar em Portugal, mas o número de eleitores é de 9,4 milhões. A diferença é explicada pelo número de portugueses a viverem no estrangeiro, mas que mantêm morada no país, segundo noticia esta segunda-feira a “TSF” com base em números do Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

A diferença de 10%, ou cerca de 850 mil pessoas, entre o número de eleitores e de habitantes resulta num encargo adicional para o Estado. O número de vereadores ou membros das juntas de freguesia e o financiamento público a campanhas eleitorais é calculado segundo o número de eleitores, o que significa que a diferença influencia a despesa pública.

É nos concelhos do interior que a discrepância é maior, sendo que a diferença é mais do dobro nos concelhos de Vila Pouca de Aguiar, Porto Moniz, Vila Nova de Paiva, Ribeira de Pena, Vimioso, Boticas e Montalegre, de acordo com a “TSF”. Tendo em conta a população real e a legislação, mais de 20 concelhos poderiam ter menos dois vereadores e uma redução no financiamento público.

Recomendadas

‘Handling’ é de interesse público mas não significa salvaguardar acionista da Groundforce, diz Siza Vieira (com áudio)

Questionado sobre se o setor do turismo e hotelaria pode estar confiante de que não acontecerão novas paralisações, o ministro da Economia disse julgar que “estão criadas as condições para que isso não suceda”.

Santos Silva sobre alívio de restrições às viagens do Brasil: “Temos seguido uma linha de extrema prudência”

“À medida que a situação da pandemia evolui positivamente em Portugal e à medida que evoluir positivamente no Brasil poderemos avaliar estas restrições em curso”, disse esta quarta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros.
José Manuel Bolieiro

Governo dos Açores interessado em “boa cooperação” entre TAP e SATA

Tanto a TAP como a SATA encontraram-se em negociações com a Comissão Europeia visando a sua reestruturação financeira, situação anterior à pandemia e agravada por essa.
Comentários