Portugal Ventures recebe mais de 150 candidaturas aos novos apoios para startups

A sociedade pública de capital de risco lançou três instrumentos para recuperar o ecossistema (Call INNOV-ID, Call FIT e Operação Follow-Ons) e contou com 161 inscrições. A meta é concretizar os novos investimentos já no próximo mês.

A Portugal Ventures (PV), que disponibilizou 18 milhões de euros para a recuperação do ecossistema empreendedor nacional, recebeu mais de 150 candidaturas às suas calls (chamadas) de financiamento lançadas durante a pandemia. A sociedade pública de capital de risco pretende realizar os novos investimentos já no próximo mês.

Rui Ferreira, vice-presidente da Portugal Ventures, confessa que é “com enorme satisfação” que assistiram, entre meados de abril e de junho à adesão do ecossistema a estas três iniciativas. Na sua opinião, trata-se de “161 projetos de empreendedores resilientes que esperam alavancar os seus negócios em tempos tão excecionais como os que vivemos hoje”.

Desenhada para o ramo científico e tecnológico, a “Call INNOV-ID” contou com 117 interessados num mês, registando duas candidaturas dos Açores, uma da Madeira, 28 candidaturas da região do Norte, 48 do Centro, 35 da zona de Lisboa, duas do Alentejo e uma do Algarve. Do total, 90 candidaturas foram submetidas por portugueses e as restantes por empreendedores do Brasil, Reino Unido, França, Itália, México, Espanha, Estados Unidos, entre outros países. A Portugal Ventures, que desde 2012 investiu 141 milhões de euros em mais de 125 novas empresas, quer investir em até 40 destes projetos.

Quanto à Call FIT, que visa colmatar a falta de financiamento em startups de turismo depois dos programas de aceleração, totalizou 30 candidaturas de finalistas do Fostering Innovation in Tourism, 24 de turismo tech e seis de turismo de base não-tecnológica. Entre as inscrições estão 18 portugueses, 12 brasileiros e empreendedores de países como Estados Unidos, Bulgária, Índia, Itália e Rússia.

A Operação Follow-Ons (que não funciona por candidaturas) contabilizou 14 projetos com potencial sinalizados para reforço de investimento, no âmbito de operações que estão a ser articuladas com a rede de parceiros de capital da Portugal Ventures. Ou seja, as diferentes entidades escolheram estas startups por considerem que conseguirão ultrapassar a crise pandémica assim que receberem esse auxílio extraordinário.

“A Portugal Ventures cumprirá a sua missão de investir nos projetos com impacto na competitividade nacional, que contribuam para a recuperação da economia portuguesa mas que tenham a capacidade de internacionalizar os seus negócios no mercado global, através de soluções únicas que mitiguem falhas de mercado”, garante Rui Ferreira, citado em comunicado divulgado esta terça-feira.

Ponto por ponto. Quais as medidas de apoio ao empreendedorismo?

Ler mais
Recomendadas

CTT lançam desafio tecnológico para startups e programadores

Universitários, empreendedores, empresas de grande dimensão e outras organizações são desafiados a criar uma aplicação móvel que seja capaz de ler todas as informações do código que vem nas cartas/encomendas com uma câmara. Em ‘jogo’ está um prémio de 8 mil euros.

Doctorino: o médico digital antecipado pela pandemia

Em poucos cliques, os pacientes têm disponíveis mais de 40 especialidades médicas, e agora, além de video-consultas, existe também a modalidade do domicílio, com toda a segurança a que os tempos atuais obrigam.

Startup Barkyn fecha ronda de investimentos série A com cinco milhões de euros

Apesar da pandemia da Covid-19, a empresa garante que o impacto da quarentena nos países onde opera foi positivo para o negócio por se tratar de uma empresa exclusivamente online.
Comentários