Portuguesa Adapttech mobiliza investidores britânicos e levanta mais 2,3 milhões

A Bionova Capital, sociedade de capital de risco portuguesa especializada na área da saúde, primeiro investidor na startup também participou na operação.

A Bionova Capital, sociedade de capital de risco portuguesa especializada na área da saúde, anunciou esta sexta-feira, 26 de março, que a sua participada Adapttech levantou uma nova ronda de capital de risco no valor de 2,3 milhões de euros.

A empresa revela que além dela própria participaram na ronda os investidores britânicos Mercia Asset Management, Angel CoFund, Wealth Club e Wren Capital.

“A Adapttech usará este investimento para desenvolver novos produtos e para aumentar as vendas a nível mundial do seu sistema INSIGHT, um novo dispositivo médico que permite melhorar a adaptação das próteses em amputados dos membros inferiores”, justifica a Bionova Capital em comunicado enviado às redações.

O sistema INSIGHT combina um scanner 3D, sensores, tecnologia wearable e uma aplicação móvel, e permite conseguir um encaixe correto das próteses de membros inferiores ao membro residual (coto), assim como monitorizar o processo de reabilitação destes pacientes. O sistema está disponível mundialmente, após a conclusão com sucesso de vários estudos em clínicas de próteses nos EUA, onde a sua eficácia foi confirmada, acrescenta o comunicado enviado às redações.

“Estamos muito satisfeitos por termos conseguido um investimento significativo por parte dos nossos investidores existentes e de novos investidores, permitindo-nos impulsionar as vendas do sistema INSIGHT”, afirmou Frederico Carpinteiro, CEO da Adapttech. “Este financiamento também permitirá desenvolver e lançar novos produtos, contratar novos elementos para a equipa e aumentar os nossos processos de produção à escala global”, acrescentou.

Em 2016, a Bionova Capital garantiu o capital inicial da Adapttech e desde até 2018 foi o seu único investidor. “Fomos os primeiros a reconhecer o potencial da tecnologia inovadora da Adapttech para melhorar o processo de ajuste de próteses. Trabalhámos desde o primeiro dia com a sua equipa para ajudar a trazer esta tecnologia para o mercado, incluindo redigir as suas patentes e melhorar a engenharia do produto”, explicou Peter Villax, Chairman da Bionova Capital.

“A Adapttech é um bom exemplo da nossa abordagem e trabalho conjunto com os fundadores na construção de empresas de saúde disruptivas por toda a Europa”, afirmou, por seu turno,  Ricardo Perdigão Henriques, CEO da Bionova Capital. “Inicialmente fundada em Portugal, esta empresa expandiu-se para o Reino Unido e EUA. Ao longo destas várias fases de crescimento, temos fornecido capital e apoio à empresa, permitindo introduzir no mercado um novo dispositivo médico com benefícios únicos para milhões de amputados em todo o mundo”.

Ler mais
Recomendadas

Mora em Lisboa? Pode fazer dois testes gratuitos à Covid-19 por mês

A Câmara Municipal de Lisboa alargou o plano de testagem massiva a todos os residentes na cidade. A partir de amanhã, os testes rápidos chegam a todos e não apenas a quem vive nas freguesias de maior risco. Há mais de 90 farmácias aderentes.

Portugal regista mais seis mortes e 684 casos de Covid-19

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 660 pessoas recuperadas nas últimas 24 horas, elevando para 786 469 o número total de pessoas livres do vírus SARS-CoV-2.

Novos dados demonstram que a vacina da Moderna confere imunidade até seis meses após a vacinação

Segundo a Moderna, “os casos atualizados mostram uma forte eficácia contínua, incluindo mais de 90% contra casos de COVID-19 e mais de 95% contra casos graves de COVID-19”.
Comentários