Portuguesa Knok assegura 4,4 milhões em ronda de investimento com Fundo NOS 5G e Triple Point

Startup portuguesa integra vídeoconsultas, ferramenta de apoio à triagem e monitorização remota de pacientes via inteligência artificial num único sistema.

A startup portuguesa Knok assegurou 4,4 milhões de euros numa ronda de investimento através da Triple Point e do Fundo NOS 5G criado pela operadora e gerido pela Armilar Venture Partners, informou a plataforma em comunicado esta quinta-feira, 25 de novembro.

A Knok disponibiliza vídeoconsultas, ferramenta de apoio à triagem e monitorização remota de pacientes através de inteligência artificial num único sistema, na qual o paciente pode identificar os sintomas, partilhar informação clínica com o médico e realizar vídeoconsultas, de forma integrada, segura e intuitiva.

Este valor contou ainda com a participação do Fundo de Inovação Social e do fundo de impacto social e ambiental MSM (Mustard Seed MAZE). O Fundo NOS 5G, com um capital inicial de 10 milhões de euros é o primeiro em Portugal orientado para a nova tecnologia móvel.

O objetivo deste fundo passa por investir em soluções tecnológicas inovadoras, “abrangendo desde a infraestrutura de rede até aos produtos ou serviços para clientes, privilegiando projetos tecnológicos nas primeiras fases de desenvolvimento”, indica o comunicado.

A Knok é a segunda startup nacional a beneficiar do investimento do Fundo NOS 5G, oferecendo uma solução tecnológica holística e robusta com base em dados de centenas de milhares de consultas realizadas em 12 países que pretende facilitar o acesso e a prestação de cuidados de saúde remotos, através de uma plataforma inovadora.

Recomendadas

PremiumDiretor-geral da AWS diz que Portugal “está num caminho fantástico”

A empresa de computação na nuvem do grupo Amazon prevê que o investimento de 2,5 mil milhões de euros em Espanha também seja benéfico para o mercado português.

Fundo da CGD pede insolvência pessoal do empresário Alfredo Casimiro

Fundo imobiliário Fundimo, da Caixa Geral de Depósitos, tem 973 mil euros a receber da Urbanos, a empresa de transportes detida por Alfredo Casimiro, que é também o principal acionista da Groundforce.

Lesados do BES em França enviam “mensagem” a futuro Governo

“Estamos aqui neste novo protesto para dizer aos políticos em Portugal que o nosso caso não está resolvido. Isto é uma mensagem no fim de 2021 para o futuro Governo, que vai ser eleito em janeiro, diz Carlos Costa dos Santos, coordenador dos Emigrantes Lesados Unidos (ELU), em declarações à Agência Lusa.
Comentários