Portugueses não querem demissão de Constança Urbano de Sousa e de José Azeredo Lopes, diz sondagem

Governo foi alvo de duras críticas no seguimento dos incêndios em Pedrógão Grande, e do furto de armas militares em Tancos, no entanto, os portugueses não defendem que ministra da Administração Interna e o ministro da Defesa devam demitir-se.

Cristina Bernardo/Jornal Econímico

Na sequência dos incêndios em Pedrógão Grande, e da polémica relacionada com  roubo de material militar em Tancos, uma sondagem mostra que, mesmo assim, os portugueses não defendem a demissão da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e do ministro da Defesa, José Azeredo Lopes.

A sondagem foi realizada pela Eurosondagem para o Expresso e a SIC nos dias 10, 11 e 12 de julho.

Mesmo com as criticas ao governo, 47% dos inquiridos acham que Constança Urbano de Sousa não se deveria ter demitido, enquanto 33,7% defende o contrário. No caso de Azeredo Lopes, 43% acham que o ministro não deveria ter pedido a demissão, e 36,9% pensa ao contrário.

A maioria (55,2%) acredita que o governo de António Costa “ficou fragilizado na sequência dos incêndios e do furto de armamento”, e 52,4% afirma que o primeiro-ministro deve mesmo remodelar o Executivo, segundo escreve o Expresso.

Recomendadas

Covid-19: PSD questiona Governo sobre critérios para realização de testes de despiste

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Viana do Castelo questionaram hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre “os critérios para priorizar” os testes à covid-19, defendendo a sua realização “imediata” em lares da região.

Duarte Cordeiro e mais quatro Secretários de Estado nomeados “autoridades para execução” do Estado de Emergência

O Governo nomeou cinco Secretários de Estado como “autoridades de execução do estado de emergência” para cada uma das cinco grandes regiões do país. O Secretário de Estado da Mobilidade foi designado para a região do Norte; da Juventude e Desporto para a região do Centro; dos Assuntos Parlamentares para a região de Lisboa e Vale do Tejo; Adjunto e da Defesa Nacional para a região do Alentejo; e das Pescas para a região do Algarve.
rui_rio_psd_legislativas_1

PSD quer adiar pagamentos de impostos até outubro e reduzir IMI em 20% este ano

O PSD quer, com estas medidas, “aumentar a liquidez das empresas” e os rendimentos das famílias e sublinha que tal não implica perda de receita nas contas nacionais, uma vez que “esses valores são registados como receita este ano”.
Comentários