Portugueses preveem gastar 363 euros no regresso às aulas, estima Cetelem

Apesar dos manuais escolares já não fazerem parte das despesas familiares, os portugueses preevem gastar entre 250 a 500 euros neste regresso às aulas.

Neste regresso às aulas, os portugueses vão gastar em compras de materiais escolares uma média de 363 euros, de acordo com os dados do Observador Regresso às Aulas, divulgados esta quarta-feira.

Segundo este estudo, cerca de 40% preveem gastar até 250 euros e 29% dos inquiridos referem querer gastar entre 250 euros e 500 euros, enquanto que 22% ainda não sabem.

A estimativa dos gastos são diferentes consoante o nível de ensino. No ensino pré-escolar os gastos médios são cerca de 318 euros, no primeiro ciclo de 31 euros e no segundo ciclo rondam os 355 euros. Aumentam ainda significativamente a partir do terceiro ciclo (406 euros), com as compras do ensino secundário a custar aos portugueses com estudantes a seu cargo uma média de 450 euros.

É certo que os portugueses não vão ter despesas nos manuais escolares, uma vez que estes vão ser distribuídos de forma gratuita. Os inquiridos referem que o montante que iriam despender neste material será agora utilizado em despesas familiares correntes (57%) e na aquisição de outro material escolar (47%), ao passo que  11% destinarão essa verba a poupanças e 5% irão reservar este montante para despesas com férias.

A semanada continua, porém, a ser um gasto presente no orçamento das famílias. Em média, os estudantes vão ter disponibilizados cerca de 20 euros por semana para gastarem no período de aulas. Cerca de metade dos inquiridos (52%) não sabe, no entanto, ao certo o valor que disponibiliza, podendo este variar. Já 21% refere disponibilizar aos alunos entre 11 e 20 euros e apenas uma pequena percentagem (1%) refere que esse valor pode atingir os 50 euros.

Recomendadas

“Negoceie a sua taxa de juro”. Como poupar dinheiro com os seus créditos

O peso das prestações de crédito nos orçamentos familiares é bastante grande. Seja o crédito habitação, créditos pessoais ou cartões de crédito, é fundamental encontrar formas de cortar com estes encargos mensais para libertar espaço no orçamento familiar. Siga estas e outras dicas de João Raposo, fundador e administrador do Grupo Reorganiza, na semana em que se celebra o Dia Mundial da Poupança.

Das telecomunicações aos créditos: Saiba como pode poupar dinheiro

Nos dias que corre é fundamental atacar todas as fontes de desperdício. Usar o seu dinheiro com critério e ponderação. Aproveite para cortar as suas despesas, passo fundamental para aumentar as suas poupanças e a sua segurança financeira.

O que fazer às minhas poupanças em tempo de crise

O pânico afetou os mercados com quedas generalizadas nas várias classes de ativos. É possível que as suas poupanças tenham também sofrido uma grande desvalorização. Neste contexto é natural que se pergunte o que fazer às suas poupanças. Neste artigo vamos deixar-lhe alguns pontos para a sua reflexão.
Comentários