Portugueses vão gastar 9,2 mil milhões de euros online em 2025

A ACEPI destaca a percentagem de portugueses que optou por comprar em sites chineses. O alojamento, os bilhetes e o vesturário são os mais procurados.

O volume de compras online dos consumidores finais vai ascender a 9,2 mil milhões de euros em 2025, um valor que comparar com os 3,8 mil milhões de euros transacionados em 2015.

Estas conclusões foram divulgados esta terça-feira, por Alexandre Nilo Fonseca, presidente da ACEPI – Associação da Economia Digital e resultam da compilação de dados efetuada anualmente pelos analistas da IDC Portugal.

Em 2015, 70% da população portuguesa utilizava Internet, percentagem que vai subir para 90% em 2025. Destes, 30% compravam online em 2015, antecipando-se que esta percentagem duplique até 2025.

Numa análise mais fina, 80% dos portugueses já fizeram compras em sites no estrangeiro, 45% das compras efetuadas pelos portugueses são concretizadas em sites estrangeiros. Um dado curioso apontado este ano diz respeito às compras em sites chineses. Perto de 50% dos portugueses que já comprou online no estrangeiro fê-lo em sites chineses, sendo que um dos mais utilizados é o AliExpress.

Alojamento, bilhetes de transporte, vestuário e acessórios de moda, livros, equipamentos móveis e acessórios e artigos para o lar compõem o rol de produtos e serviços mais adquiridos pelos portugueses através da Internet.

A percentagem de empresas portuguesas com presença na Internet é ainda relativamente reduzido – apenas 38%. Esta situação é lamentada por Alexandre Nilo Fonseca que afirmou que Portugal regista várias conquistas na esfera digital sendo ainda escassas as empresas nacionais com uma presença significativa e mensurável no mundo online.

No entanto existe uma diferença substancial relacionada com a dimensão da organização: 97% das grandes companhias estão online, 86% das médias também.
Quanto às empresas de menor dimensão, apenas 30% das microempresas e pouco mais de metade das pequenas empresas (56%) tem presença na Internet. Esta presença é atualmente diversificada.

Da totalidade das empresas com presença na Internet, 81% tem site próprio, 60% tem página em alguma rede social e 51% conta com uma mobile app. Cerca de 58% das empresas vende online no seu próprio site.

O volume de compras online efetuados pelas empresas e pelo Estado cifou-se em 58,58 mil milhões de euros em 2015, valor que deverá aumentar para 132,7 mil milhões de euros até 2025.

Ler mais
Recomendadas

A mobilidade já cabe num smartphone

Há ‘apps’ para chamar um carro ou uma trotinete na rua, mas é possível fazer muito mais. Como está a Inteligência Artificial a mudar a mobilidade nas cidades?

Ministro britânico afirma que Huawei deverá reunir condições para desenvolvimento do 5G

“Tenho certeza de que o Conselho de Segurança Nacional analisará essas mesmas condições e tomará a decisão certa, para garantir que temos uma infraestrutura de telecomunicações muito forte, mas também segura”, disse este domingo Matt Hancock.

Agricultura de precisão é o caminho de futuro

Sensores de rega gota a gota, utilização de GPS, crescente informatização dos processos produtivos e de logística são as tendências do setor da agricultura em Portugal. Conheça os desafios e os projetos.
Comentários