Poupança: o que é?

Todos os meses, ou sempre que possível e com regularidade, as famílias devem retirar uma parte dos seus rendimento para uma poupança. O ideal seriam 10% do rendimento, no entanto esta avaliação terá que ser feita, caso a caso.

A poupança  é  a parte do rendimento disponível que não é afeta à despesa de consumo final. Permite precaver e enfrentar imprevistos tal como o desemprego, um acidente, doença ou despesa inesperada.

Para além de se tornar um fundo de emergência (pelo, menos, 5 a 6 vezes o rendimento mensal da família) para acomodar o impacto financeiro de uma dessas situações imprevistas, a poupança pode ter como objetivo planear a compra de bens ou serviços, criar um complemento de reforma, ou para acautelar os estudos dos filhos ou ainda para dispor de um plano de saúde.

Mais, com uma poupança, o consumidor pode, inclusivamente, realizar um projeto, como seja fazer uma viagem, comprar um carro, uma casa, financiar estudos ou iniciar um negócio.

A importância da poupança

A elaboração do orçamento familiar permite o controlo das despesas correntes e a tomada de decisões financeiras importantes e a regularidade com que faz e gere o vosso orçamento é a Chave para o Sucesso! Ou seja, o orçamento deve ser elaborado regularmente, sendo a maioria dos rendimentos mensais, este exercício deve ser elaborado todos os meses para uma atualização detalhada.

Assim, na gestão responsável e equilibrada das finanças pessoais, uma parte dos rendimentos devem ser destinados à poupança e poupar deve ser, efetivamente, uma prioridade para toda a família.

Todos os meses, ou sempre que possível e com regularidade, as famílias devem retirar uma parte dos seus rendimento para uma poupança. O ideal seriam 10% do rendimento, no entanto esta avaliação terá que ser feita, caso a caso.

Tão importante como definir a quantia a poupar é conhecer as regras para um investimento responsável. Uma informação errada ou insuficiente pode originar perdas significativas e riscos elevados.

Informe-se aqui.

Ler mais
Recomendadas

Metro de Lisboa reduz oferta de transporte nas linhas azul e amarela

O Metropolitano de Lisboa manterá o seu serviço de exploração com a oferta a 100% nas linhas verde e vermelha, continuando a operar na sua capacidade máxima disponível, sem alterações à oferta nos dias úteis.

O que devo fazer se emigrar e tiver um contrato de telecomunicações

Se o contrato previr este caso, basta referi-las à operadora, mas se tal não está expresso, pode tentar apelar à compreensão da empresa: exponha a situação por escrito e inclua comprovativos de que vai mudar de país, sendo uma alteração de circunstância em causa. Poderá ainda avançar para um julgado de paz ou centro de arbitragem de conflitos de consumo. Mas primeiro faça as contas ao que falta pagar do período de fidelização e aos custos do processo.

Parcómetros de Gaia suspensos até final de fevereiro

As empresas que gerem o estacionamento concessionado em Vila Nova de Gaia não vão cobrar parcómetros até ao final de fevereiro e será a câmara a assumir a perda de receita, divulgou hoje aquela autarquia do distrito do Porto.
Comentários